• Notícias
  • Agronegócio: criatividade e superação

    02/02/2017
    2017 será um ano que vai exigir muita criatividade, inovação e superação.

    José Luiz Tejon Megido*

    Isto significa acima de tudo capacidade de aprender a aprender. E criatividade é o insumo mais barato do mundo. Não custa nada, basta pensar, concentrar, observar, reunir as melhores coisas que você observa, e integrar ao seu desafio, ao seu negócio.

    Pesquisas revelaram que 97% das empresas mais bem sucedidas no mundo não são as que inventaram primeiro, foram as que captaram, replicaram, adaptaram e agiram com velocidade. Ou seja, foco e prontidão para criar e inovar.

    O mundo vive agora uma crise globalizada, não espere moleza nem zona de conforto, tenha a certeza da volatilidade do câmbio, da incerteza das trocas comerciais, dos preços das commodities. Não espere lucidez e bom senso dos grandes comandantes do planeta, como Trump, Putin, novos governos nacionalistas ou protecionistas europeus.

    Da mesma forma, não acredite que um ser transcendental irá se materializar em Brasília e transformar toda a guerra de poderes, o jogo dos egos, a imoralidade e a fragilidade da ética numa poção mágica de ordem e progresso.

    Sendo assim, busque a sabedoria dos sábios. No agronegócio, o cooperativismo passa a ser coisa sagrada. Ninguém tem futuro sozinho, e se você não aprender estará incapacitado. Sistemas de integração são sábios, inovações como integração lavoura e pecuária. Não perca tempo, aprenda, diversifique e comece. Você ficará menos exposto a uma commodity só, e vá adiante, integre com floresta, com aquacultura. O pescado, por exemplo, vai crescer e já temos tecnologia e bons sistemas de aquanegócios.

    A madeira continuará sendo demandada, na borracha o Brasil carece de autosuficiência, a palma e o cacau idem. O café deverá agregar valor, vamos vender mais cápsulas e multiplicar por 10 o valor de cada saca de café. E, o açúcar continuará adoçando o mundo bem como o etanol eletrificando novas gerações de automóveis híbridos.

    De olho no clima, na sustentabilidade sirva-se do conhecimento de fundações que analisam com métricas as causas e efeitos de ações de sustentabilidade. Fique de olho nos 100 bilhões de dólares do Green Climate Fund.

    Se ligue no não desperdício. Use os sensores instalados nas novas máquinas agrícolas, e pare de jogar sementes, adubo e defensivos fora. Na proteína animal, cuide do bem-estar e do ambiente dos organismos dos suínos, aves, bovinos de corte e de leite, e diminua o potencial das doenças que começam pelos intestinos. Cuide da nutrição animal e dos nutrientes para a vida dos vegetais. E negocie, negocie muito mais e faça a gestão das cadeias produtivas. Isso sim significa agronegócio.

    Em 2017, crie para espantar a crise, supere para fazer mais e melhor tudo o que você já fez um dia. 2017, ano de criatividade e superação. Jamais seremos os mesmos hoje e amanhã.

    *José Luiz Tejon Megido, Conselheiro Fiscal do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) e Dirige o Núcleo de Agronegócio da ESPM.

    Fonte: CCAS / Alfapress



  • Por uma nova pecuária brasileira

  • O livro Carne e Osso lançado em 2015 pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne traz um relato inédito sobre as origens e a evolução da indústria da carne brasileira, a reboque da

    + leia mais
  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites