• Conjuntura
  • Água no lombo e pasto na canela seguram a arroba do boi

    11/02/2020
    Confira porque o pecuarista continua vencendo o "braço de ferro" com a indústria frigorífica

    Gado.

    Nesta sexta-feira, o ambiente no mercado de boi gordo é de preços firmes na maior parte das regiões pecuárias brasileiras, relata a Informa Economics FNP. Os pecuaristas continuam vencendo o braço de ferro com a indústria frigorífica, ao manter a estratégia de segurar a boiada no pasto, postergando a venda de grandes lotes, à espera de preços mais altos.

    “As chuvas em bons volumes mantêm a boa capacidade de suporte das pastagens. Assim, os pecuaristas conseguem reter o gado no pasto, com custo baixo, aguardando pagamentos maiores e dificultando a vida dos compradores de gado”, destaca boletim desta sexta-feira da Scot Consultoria.

    De acordo com Agrifatto, as escalas de abate avançaram nesta semana, o que confirma a maior apetite das indústrias em adquirir matéria-prima. Em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Pará as programações de abate giram em torno de cinco dias úteis. Em Goiás, Mato Grosso e Tocantins, os frigoríficos trabalham com aproximadamente quatro dias úteis, informa a Agrifatto.

    Segundo levantamento realizado nesta sexta-feira pela FNP, em São Paulo, as grandes indústrias trabalham com valores no balcão a R$ 200/@. Por sua vez, os frigoríficos de menor porte oferecem R$ 205/@, a prazo, para desconto do Funrural.

    Em Dourados (MS), de acordo com a FNP, os preços de balcão de todas as indústrias foram ajustados positivamente nesta sexta-feira, devido à grande dificuldade em estender escalas de abate para mais do que três dias úteis. Os maiores frigoríficos do MS trabalham com R$190/@ para desconto do Funrural nas negociações envolvendo lotes grandes e homogêneos. Cenário semelhante é observado na região sul de Goiás.

    Ainda segundo informações da FNP, os ajustes positivos mais consistentes ocorreram na região Norte do Brasil, onde a pressão altista é fruto de oferta restrita. “O número elevado de plantas habilitadas para exportar carne para o mercado asiático, sobretudo para China, somada a demanda externa para exportação de gado em pé, tem dado suporte adicional ao mercado local, sobretudo no Pará e Tocantins”, observa a consultoria paulista.

    Saiba mais

    A sustentação dos preços da carne bovina no mercado atacadista também contribui para o aumento da procura pelo boi gordo. Segundo a Agrifatto, a carcaça casada no atacado paulista avançou 8,82% nos últimos sete dias – vale em torno de R$ 13,50/kg.



  • Mato Grosso recebe técnicos do Rally da Safra para avaliar lavouras de soja de ciclo médio e tardio

  • Região Leste sofreu atraso no plantio, mas expectativa é de bom desempenho

    + leia mais
  • Produtividade de fazenda amenta em 71% com ajuda da irrigação

  • Propriedade localizada em Balsas, no Maranhão, foi a primeira no Estado a construir poço tubular de alta vazão que proporcionou utilizar os pivôs centrais

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites