• Nutrição
  • Alimentação animal adequada reduz riscos de poluição ao meio ambiente, afirma especialista

    12/06/2018
    Enzimas como fitase reduz probabilidade de contaminação do solo através de dejetos dos animais.

    Com a busca incessante pela redução de emissão de poluentes, o agronegócio vem se adaptando para ajudar a combater os riscos de poluição ao meio ambiente. De acordo com o gerente geral da Quimtia Brasil, empresa especializada na produção de insumos para nutrição animal, Anderson Andrade da Veiga, no caso da produção animal, que como um dos meios o confinamento de um grande número de animais, existem várias formas de reduzir a contaminação dos solos e das águas.

    Segundo ele, neste caso, uma das alternativas é investir em insumos que possibilitam uma nutrição mais adequada aos animais, o que pode diminuir consideravelmente a descarga de poluentes no solo, através das fezes.

    “Algumas enzimas como a fitase, por exemplo, se acrescentadas à ração animal são capazes de atuar fortemente em fatores antinutricionais, reduzindo a probabilidade de contaminação no solo através de dejetos”, explica o executivo.

    Ainda para Anderson, a substância é responsável por interferir no processo de ingestão de vários minerais, melhorando a absorção de cada uma delas e reduzindo, consequentemente, as emissões diretamente no solo. “Minerais como ferro, magnésio, zinco e cálcio, além do próprio fósforo, sendo melhor absorvidos pelos animais pode reduzir problemas ambientais”, finaliza o especialista.

    O Brasil é, hoje, o terceiro maior poluidor das Américas ficando atrás somente dos Estados Unidos e do México. Entretanto, o país vem enfatizando a preocupação e buscando maneiras de reduzir os poluentes, como é o caso da estratégia sugerida por Anderson no segmento do agronegócio.

    Fonte: Comunicare



  • A vez delas também na pecuária

  • Estamos falando das fêmeas bovinas como fiel da balança na hora de melhorar a rentabilidade do negócio. Na cobertura a campo, predominante na pecuária nacional, produzem em média 28 filhotes por ano,

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Pecuária competitiva é quebra de paradigma

  • Nada de fórmulas milagrosas. Tudo é trabalho, transpiração, interpretação de números e fatos, além de contínuo aprimoramento pessoal como empreendedor.

    + leia mais
  • Temple Grandin: Práticas de bem-estar animal traz vantagens para o gado e para o pecuarista

  • Pesquisadora norte-americana Temple Grandin está no Brasil e fala sobre a preocupação com o bem estar animal e sua importância para obter-se mais produtividade na fazenda. Ela é uma das maiores autori

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites