• Notícias
  • Caminho do Boi bate recorde de público na Agrishow

    11/05/2017
    Mais de 6 mil pessoas percorreram o trajeto do animal da fazenda ao prato do consumidor, o maior público da história do projeto

    Mais de 6 mil pessoas percorreram o Caminho do Boi na Agrishow, o maior público da história do projeto, que convida o consumidor a percorrer o trajeto do animal de corte, desde a fazenda até o mercado. Instalado em uma área de 900m², o Caminho do Boi contou com estações que mostravam de forma interativa as diversas etapas para a produção de uma carne de qualidade: genética; sustentabilidade; sistemas produtivos; bem-estar; infraestrutura e manejo; pesquisa, inovação e conhecimento; gestão; sanidade; indústria; carne, mercado e associativismo. A iniciativa foi promovida pela Agrishow e Terraviva Eventos, com projeto da Beckhauser e participação de diversas empresas e instituições.

    “Esta edição do Caminho do Boi na Agrishow foi mais voltada para o consumidor com o objetivo de mostrar toda a tecnologia que existe por trás do alimento que chega à sua mesa, bem como o esforço de toda a cadeia para produzir uma carne saborosa e segura. Especialmente após a Operação Carne Fraca, quando a qualidade da nossa carne foi colocada à prova e amplificada com as redes sociais nessa era da informação, vimos o Caminho do Boi como uma grande oportunidade de mostrar que existe o outro lado e que cada vez mais vem crescendo, ganhando força, envolvendo todo um trabalho de uma pecuária eficiente que produz com sustentabilidade, segurança alimentar e qualidade. O retorno que tivemos das pessoas que passaram pelo Caminho foi extremamente positivo e demonstra que foi uma iniciativa muito bem sucedida”, avalia Mariana Beckheuser, vice-presidente da Beckhauser.

    “Foi uma grande honra realizar o projeto Caminho do Boi nesta magnífica feira que é a Agrishow, marcada por ser um polo difusor da tecnologia e de inovação. Foi uma oportunidade de evidenciar a pecuária na feira, atividade que está cada vez mais consorciada com a lavoura e que quanto mais integrada, mais se mostra eficiente e sustentável”, ressalta Carla Tuccilio, diretora do Terraviva Eventos.

    Além dos milhares de produtores e lideranças do setor, percorreram o Caminho do Boi autoridades, como o Secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim; o Secretário de Estado do Meio Ambiente de São Paulo, Ricardo Salles; o ex-Ministro da Agricultura e presidente da Abramilho – Associação Brasileira dos Produtores de Milho, Alysson Paolinelli; o presidente da Embrapa, Mauricio Lopes, entre outros.

    Evento na Arena do Conhecimento

    Como parte do projeto Caminho do Boi, a pecuária também foi tema de um evento na Arena do Conhecimento, novo espaço da feira dedicado a discussões e difusão de tecnologias aos produtores.
    Intitulado, “Caminhos do Boi”, o evento teve quatro painéis para debater os rumos da pecuária sob quatro aspectos: sustentabilidade, legislação, mercado e o produto carne. O painel "Sustentabilidade, sem ela não tem c@minho" foi conduzido por Francisco Beduschi, presidente do GTPS (Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável) e teve como convidada Renata Branco, diretora do IZ (Instituto de Zootecnia). O segundo painel "Legislação, as pontes do c@minho" foi liderado por Samanta Pineda, advogada e consultora, especialista em Direito Socioambiental, que convidou Willian Marchió, da Rede de Fomento ILPF debater a questão. Já o terceiro painel "Mercado, o guia do c@minho" foi direcionado por Alcides Torres, da Scot Consultoria e Alberto Pessina – presidente do Conselho de Administração da Nova Assocon (Associação Brasileira da Pecuária Intensiva). O último painel "Carne, a chegada do c@minho” teve a participação de Wagner Bacchi, presidente do IMAC – Instituto Mato-Grossense da Carne e de Lucas Ferriani, proprietário de dois restaurantes em Ribeirão Preto e de uma distribuidora de carnes.

    “Em uma feira dinâmica, com tantas máquinas gigantes chamando a atenção foi possível fazer um debate com um bom público abordando todos os aspectos dessa cadeia: mercado, legislação ambiental, promoção da carne, sustentabilidade, pesquisa e consumo. Uma visão bem completa em uma conversa agradável, complementando o Caminho do Boi, que mostrou de forma didática, simples e direta para quem não é da área o caminho do animal da fazenda até se tornar alimento. Acredito que o Caminho do Boi marcou o recomeço da pecuária na Agrishow, o que é de grande importância diante da integração cada vez mais com a lavoura”, afirma Alcides Torres, da Scot Consultoria, que participou do evento na Arena do Conhecimento.

    O Caminho do Boi na Agrishow teve a participação da Abiec – Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes,Allflex, Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol, Beckhauser, Belgo Bekaert, Casale, DeltaGen, GTPS – Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável, Guarania, IMAC – Instituto Mato-grossense da Carne, Instituto de Zootecnia (IZ), Kemin, MultiBovinos, Nova Assocon, Núcleo Feminino do Agronegócio, Panucci Pré Moldados, Prodap, Rede de Fomento ILPF, coordenada pela Embrapa, Rubber Tank, Scot Consultoria e Villa Beef.

    Sobre o Caminho do Boi

    A primeira edição do Caminho do Boi foi apresentada durante a Feicorte, em São Paulo. Posteriormente, o projeto foi realizado na Agrishow, em 2015. Em 2016, o Caminho do Boi foi montado na InterCorte em São Paulo, na Bienal do Ibirapuera, estendendo o foco ao consumidor final, com uma linguagem mais didática. Em todas as suas edições, mais de 16 mil pessoas já fizeram o trajeto do Caminho do Boi. Mais informações: www.caminhodoboi.com.br

    Fonte: Caminho do Boi / Attuale

  • Projeto Campos do Araguaia busca adequação ambiental em propriedades do MT

  • O projeto irá apoiar a intensificação e restaurar de 130 mil hectares de pastagens no Médio Araguaia/MT. Serão realizadas adequação ambiental e intensificação sustentável em 50 propriedades rurais em

    + leia mais
  • Rally da Pecuária 2017 vai a campo em cenário de maior oferta

  • Produtores mais tecnificados tendem a manter ou até aumentar a rentabilidade apesar da queda nos preços

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites