• Nutrição
  • Como calcular a quantidade de sementes de acordo com o valor cultural

    04/02/2019
    Se o produtor estiver na situação de compra entre duas sementes de mesmo preço, o melhor negócio será adquirir a semente com o maior valor cultural.

    Felippe Reis*

    Apesar de compor cerca de apenas 5% a 10% do custo da formação das pastagens, a semente forrageira impacta diretamente no resultado da atividade pecuária. Alguns indicadores nos auxiliam a identificar se o produto é de alta ou baixa qualidade, tais como: germinação, pureza e valor cultural (VC).

    A germinação é a capacidade da semente dar origem a uma plântula normal. A percentagem da germinação das sementes pode variar em função das condições ambientais. A pureza das sementes refere-se às sementes pertencentes à espécie desejada, ou seja, excluído toda as “sujeiras” (sementes de plantas daninhas, ovos de insetos, terra, etc..). O valor cultural é um parâmetro que indica a qualidade da semente obtida através da fórmula: Valor Cultural (%VC) = (%germinação x %pureza) / 100, cujo resultado é expresso em porcentagem.

    Portanto, se a semente possui alto valor cultural, consequentemente tem um alto índice de germinação e de pureza, expressando uma alta qualidade do material. 

    Logo, se o produtor estiver indeciso entre duas sementes de mesmo preço, o melhor negócio será a aquisição da semente com maior valor cultural. 

    Quantos quilos de sementes utilizar por hectare.

    Conhecido o valor cultural da semente, para saber quantos quilos de sementes serão consumidos por hectare será preciso definir o método e a taxa mínima de semeadura, obtida através da fórmula:

    Taxa mínima de semeadura = (Ponto de Valor Cultura (PVC) / hectare) / %VC

    Para conhecer o Ponto de Valor Cultural pode-se, por exemplo, consultar a tabela publicada pela Embrapa, cujos números foram obtidos através de pesquisa. Tabela 1.

    Dispondo dessas informações, aplica-se a fórmula para saber qual a quantidade mínima de sementes para semear um hectare.

    TABELA 1. Pontos de Valor Cultural por hectare (PVC/ha) da Brachiaria brizantha cv. Marandu e Brachiaria decumbens, em função do método de plantio e da profundidade de plantio.

    Para este exemplo, foi considerado a semente da Brachiaria brizantha cv. Marandu, com valor cultural de 50%, com plantio a lanço. Logo: Taxa mínima de semeadura = 520 / 50 = 10,4 kg de sementes por hectare. Descoberta a quantidade de sementes recomendadas para o plantio de um hectare, o produtor consegue conhecer o custo da operação.

    Segundo levantamento da Scot Consultoria, a semente da Brachiaria brizantha cv. Marandu, com um valor cultural de 50% está cotada, em média, em R$7,58/kg. Como a recomendação (obtida através do cálculo da taxa mínima de semeadura) foram de 10,4kg/ha, o custo com a aquisição da semente será de R$78,83/ha. (Tabela 2).

    TABELA 2. Custo em R$/hectare da semente de Brachiaria brizantha cv. Marandu.

    Na simulação da tabela 2 o custo com a semente ficou em R$78,83/ha, e se o produtor optar por uma semente com um valor cultural maior ele poderá reduzir os gastos com semente, a depender do preço naturalmente. Ou seja, seguindo a mesma metodologia, com uma semente com valor cultural de 80%, a taxa mínima de semeadura é de 6,4 kg de sementes por hectare.

    Segundo levantamento da Scot Consultoria, a semente da Brachiaria brizantha cv. Marandu, com um valor cultural de 80% está cotada, em média, em R$11,63/kg. Neste caso, a opção pela semente com um maior valor cultural resultará em menor gasto na aquisição das sementes (tabela 3). Uma redução de 5,07%, mesmo a semente de maior valor cultural custando mais.

    TABELA 3. Comparativo de custo, em R$/ha, da semente de Brachiaria brizantha cv. Marandu, com valor cultural de 50% e 80%, respectivamente.

    Pode-se calcular também o preço máximo que a semente de pastagem com um valor cultural mais alto pode ter em relação a semente com um valor cultural menor (ponto de equilíbrio).

    A tabela 4 mostra o ponto de equilíbrio entre as sementes com valor cultural de 50% e 80%, ou seja, até o patamar de R$12,13/kg e R$19,00/kg, para o Marandu e o Decumbens, respectivamente, as sementes com o valor cultural maior são financeiramente mais rentáveis frente as sementes com um valor cultural menor, e, acima destes patamares, as sementes com um valor cultural menor garantem maior economia ao produtor.

    TABELA 4. Ponto de equilíbrio entre as sementes forrageiras com um valor cultural de 50% e 80%, das espécies Brachiaria brizantha cv. Marandu e Brachiaria decumbens, considerando o estado de São Paulo.

    Fontes consultadas:

    https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/937485/1/OrientalComTec235.pdf

    http://www.diasfilho.com.br/Palestras/Formacao_Manejo_Pastagem_Moacyr_Dias-Filho.pdf

    http://old.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/naoseriadas/passoapasso/passapasso.html

    *Felippe Reis é Zootecnista e analista de mercado da Scot Consultoria. fr@scotconsultoria.com.br

    Fonte: Carta Insumos - volume 13 • número 152 - janeiro de 2019 – Scot Consultoria - www.scotconsultoria.com.br



  • Suplementação mineral é essencial para rebanho, mas exige medida específica

  • Não existe receita de sucesso e é preciso fazer análise real de cada caso

    + leia mais
  • A vez delas também na pecuária

  • Estamos falando das fêmeas bovinas como fiel da balança na hora de melhorar a rentabilidade do negócio. Na cobertura a campo, predominante na pecuária nacional, produzem em média 28 filhotes por ano,

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Genética no tempo, sem artificialismos

  • Respeitando a fixação de características no rebanho ao longo do tempo sem quaisquer maquiagens nas informações observadas e coletadas no campo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites