• Notícias
  • Como reformar pasto com Brizantha sem rebrota do capim anterior, a Humidicola?

    01/04/2021
    Quem atendeu a telespectadora foi o pecuarista Tiago Felipini, zootecnista especialista em nutrição e consultor da Alcance Planejamento Rural, que listou um passo a passo para esse manejo.
     
    A telespectadora Márcia Machado, de Uberlândia-MG, informou em mensagem ao Giro do Boi que vai reformar um pasto que atualmente está formado com Humidicola, mas também está infestado por muito gramão cuiabano. Ela revelou que tem a intenção de reformar a área plantando Brachiaria brizantha, mas tem receio de a Humidicola rebrotar e, por isso, pediu ajuda para conduzir o trabalho.
     
    Quem atendeu a telespectadora foi o pecuarista Tiago Felipini, zootecnista especialista em nutrição e consultor da Alcance Planejamento Rural, que listou um passo a passo para esse manejo.
     
    AMOSTRA E ANÁLISE DE SOLO
     
    “O primeiro passo é padrão para todas as áreas que vão ser plantadas: você deve coletar amostra de solo e fazer uma análise completa do solo. Procure coletar a profundidade de 0 a 20 centímetros, uma amostragem de diversos pontos para ela poder ficar homogênea, o mais próxima possível da realidade da área e, depois, com a análise de solo pronta, o técnico que acompanha você vai poder orientar melhor (como fazer a correção)”, indicou o consultor.
     
    CORREÇÃO DO SOLO
     
    “Você deve fazer toda a correção necessária. Se o solo demandar correção com calcário e gesso, é interessante estar fazendo porque isso vai dar condição da Brachiaria brizantha se consolidar rapidamente e abafar, cobrir o solo, sombrear a Humidicola. E a Humidicola não tolera sombra, ou tolera muito pouco. O Braquiária até tolera, mas a Humidicola não tolera quase nada, segundo os trabalhos da Embrapa. Então essa é uma sacada para você aí, dar condição do capim que você vai plantar brotar e crescer mais rapidamente para poder cobrir logo o solo”, justificou.
     
    TOMBAMENTO E GRADAGEM
     
    “Fez essa correção, você vai fazer o tombamento. Se você tiver receio, você pode fazer a dessecação depois do tombamento, uma dessecação com 14 dias depois de realizado o tombamento – ou até menos, sete dias depois, se tiver umidade. Depois que fizer o tombamento, você vai aguardar mais sete dias, aí depois desse período – de sete a dez dias – você entra fazendo a gradagem. Pode ser a gradagem aradora, é mais interessante”, recomendou.
     
    Felipini disse que o produtor deve se dedicar bastante ao preparo do solo porque ele vai ser determinante para a boa formação da área. “Como existe o risco dessa Humidicola voltar, é interessante a gente caprichar no preparo de solo. Eu costumo […> entrar com aração, com arado de disco, senão um arado aiveca. Eu particularmente eu gosto muito do arado de disco, porque eu posso tirar um disco, trabalhar com três discos se o trator tiver menos potência, se tiver mais potência eu trabalho com quatro discos e aprofundo mais… No entanto, o arado aiveca é excelente e vai produzir um excelente resultado para vocês”, ponderou.
     
    “‘Ah, mas eu não tenho grade grande, só tenho grade pequena’. Normalmente o pessoal tem a grade rome, que é aquela grade de 24, 25 polegadas, e não tem problema. Como você já tombou, a terra ficou virada por sete a dez dias, você entra fazendo a gradagem para começar a nivelar o solo com essa grade aradora ou grade rome, que seja. Você vai fazer uma ou duas gradagens e, depois de sete dias, o solo vai estar pronto para você entrar com o plantio”, continuou.
     
    NIVELAMENTO
     
    “Um detalhe: antes de fazer o plantio, você deve fazer nivelamento. É interessante ter uma grade niveladora, que é uma grade menor, para poder nivelar o terreno e preparar o solo para receber a semente do capim. Isso vai aumentar o poder de germinação e melhorar a velocidade do estabelecimento desse capim que você vai plantar. Então não deixe de fazer nivelamento”, sustentou.
     
    “Então o passo a passo é fazer análise de solo, preparo de solo, fazendo aração profunda, o mais profunda que você conseguir”, resumiu.
     
    ADUBAÇÃO DE PLANTIO
     
    O especialista também ressaltou que realizar a adubação junto ao plantio pode ajudar a suprimir a rebrota do capim antigo e das plantas daninhas. “Depois que nivelar, faça o plantio e use adubo de plantio junto porque se você tem um problema de invasora, antes de plantar o Brizantha é interessante você dar condição para o capim (se desenvolver). Além de corrigir o solo, você pode potencializar o capim fazendo adubação de plantio. ‘Ah, mas é muito caro’. Não, você vai ter um resultado muito maior com adubo de plantio. Esse resultado, além de ser melhor (para a brotação do novo capim), faz você aumentar até o suporte da área. Usando adubo de plantio, em uma pastagem de um hectare você colocaria três cabeças. Sem adubo de plantio, você vai ter um tempo de espera três vezes maior para esse pasto estar pronto para o pastejo e o suporte vai ser de uma cabeça (por hectare) no máximo. Então vale a pena! Se você não puder colocar toda a adubação recomendada pelo técnico, use uma adubação simbólica, 10%, 20%, 50% pelo menos do que o técnico te recomendar. Essa adubação vai ser responsiva, ela vai te dar potencial para que a sua pastagem se estabeleça rapidamente e resolva seu problema com Humidicola e com o gramão”, concluiu Felipini.
     
    Fonte: Giro do Boi com curadoria Boi a Pasto.
  • Pegada hídrica entre bovinos pode variar até sete mil litros por quilo de carcaça

  • É a primeira vez que é calculada no Brasil a pegada da carne bovina com dados gerados no próprio sistema de produção

    + leia mais
  • Artigo - Ataques de percevejo castanho em pastagem exigem atenção do produtor

  • Fabrícia Zimermann Vilela Torres, engenheira-agrônoma e pesquisadora em entomologia de forrageiras tropicais.

    + leia mais


  • Criação de sites