• Notícias
  • Cooperboi firma parceria com Grupo Adir e lança programa de qualidade de carne inédito em Alagoas

    28/02/2018
    Com 52 cooperados, a Cooperativa do Agronegócio do Boi (Cooperboi) anuncia parceria inédita com o Grupo Adir, criatório que há quase seis décadas seleciona a raça Nelore em Ribeirão Preto (SP) e Nova Crixás (GO).

    Referência na pecuária de ciclo curto, a cooperativa alagoana sediada em Maceió lançará um programa de qualidade com foco nos mais exigentes consumidores de carne bovina. “Temos uma preocupação muito grande com a qualidade da carne e nossa meta é abastecer a gastronomia local com cortes mais tenros, macios e suculentos”, diz José Ronaldo, diretor da Cooperboi.

    A previsão é que parte das matrizes sejam inseminadas, exclusivamente, com genética de touros do Grupo Adir. Trabalho esse que se diferencia dos demais em virtude da maior padronização de carcaças, fertilidade, funcionalidade dos animais a campo e qualidade de carne apresentada. Neste novo programa, serão abatidos apenas animais jovens, com até 2 dentes, o equivalente a um novilho de 26 meses de idade, submetidos aos protocolos sanitários e nutricionais já aplicados pelos cooperados, fator que permitirá à genética utilizada mostrar todo seu potencial em rendimento de carcaça, distribuição de gordura uniforme e marmoreio, a gordura existente entra as fibras que gera o sabor e a suculência tão es perada pelo consumidor final.

    “Em outubro do ano passado, visitamos a Fazenda Barreiro Grande, que pertence ao Grupo Adir, em Nova Crixás (GO), e ficamos impressionados com o padrão dos animais e também dos resultados das provas de ultrassonografia conduzidas pela DGT Brasil, que indicaram percentuais de marmoreio que nunca antes havíamos presenciado na raça Nelore, e que será decisivo em nosso programa”, diz o diretor do Cooperboi.

    Cerca de 30% do gado abatido anualmente pelos pecuaristas da Cooperboi já atendem as exigências desejadas, mas o projeto chegará em seu auge em breve, dado o alto emprego tecnológico pelos cooperados, o acesso facilitado à genética necessária e a padronização do manejo.
    Um estímulo para garantir a matéria-prima desejada serão as bonificações ainda em estudo pela diretoria da Cooperboi, devendo variar de acordo com a qualidade dos animais destinados ao abate, serviço que é terceirizado. Alguns cooperados trabalham com pecuária de ciclo completo, outros preferem a recria e a engorda, mas, obrigatoriamente, as novilhas devem apresentar pelo menos 15 @ de peso e os machos, de 17@ a 20@, sendo os dois grupos criados a pasto e terminados em confinamento, para garantir o acabamento de carcaça desejado. Os cortes serão apresentados por meio da marca “Boi de Engenho”, em processo de homologação.

    Avaliação de carcaça

    O que mais chamou a atenção da Cooperboi é o projeto inovador do Grupo Adir que envolve avaliações de carcaça feitas in vivo por ultrassonografia, pela DGT Brasil, que revelaram o touro Nelore número um em marmoreio no Brasil: Quanupur da 2L. O reprodutor superou outros 500 mil animais neste quesito. Doses de sêmen dele já foram utilizadas por membros da Cooperboi.

    Coroa o trabalho outro projeto pioneiro, iniciado em outubro de 2014 pelo Grupo Adir com a coordenação do professor doutor Sérgio Pflanzer, chefe da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, em Campinas (SP): o abate técnico por touro. O processo compreendeu a análise de carcaça de dez filhos de cada touro (comprovados por exame de DNA), com idade entre 18 e 19 meses, criados e recriados a pasto e terminados em confinamento.  Já foram comprovados Jiandut FIV, Jallad FIV da 2L e Palluk POI FIV da 2L (linhagem Golias), OPUS FIV do Brumado (linhagem Jeru) e Naman FIV da 2L (linhagem Visual).

    Os resultados são interessantes e mostram novilhos Nelore com peso médio de 20 @, rendimento de carcaça entre 57 e 59% e espessura de gordura subcutânea (EGS) de 4 a 6 mm. “Comprovamos que animais desejáveis necessitam ser férteis, adaptados, equilibrados, com aprumos perfeitos, linha dorsal plana e racial preservado, pois sem ele é impossível obter padronização de carcaças”, explica Paulo Leonel, diretor do Grupo Adir.

    Parcerias de peso

    Os resultados apresentados chamaram a atenção dos maiores projetos pecuários do Brasil: a Fazenda Nova Piratininga, uma propriedade de 135 mil hectares em São Miguel do Araguaia (GO), e a Fazenda Conforto, em Nova Crixás, o maior confinamento do Brasil, com mais de 100 mil animais comercializados por ano. Para a Piratininga, foram negociadas 90 mil doses de sêmen. Já a Fazenda Conforto lançou um programa para compra de bezerros com genética exclusiva ADIR, garantindo ágio mínimo de 25% sobre o indexador boi gordo CEPEA-GO a prazo.

    E mais recentemente o Masterboi, frigorífico com sede em Recife (PE) e unidades no Pará e Tocantins, também decidiu criar seu Programa de Qualidade de Carne Bovina Nelore baseada na genética ADIR. “No Grupo ADIR, não vendemos sêmen ou touros, disponibilizamos uma filosofia de produção sustentável”, conclui Paulo Leonel.

    Fonte: Grupo Adir / Pec Press



  • Tecnologia e produção sustentável

  • Historicamente, em todas as regiões no mundo, a produção de alimentos em quantidade e qualidade adequadas à demanda sempre foi uma preocupação social e de suas representações.

    + leia mais
  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais
  • Por uma nova pecuária brasileira

  • O livro Carne e Osso lançado em 2015 pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne traz um relato inédito sobre as origens e a evolução da indústria da carne brasileira, a reboque da

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites