• Manejo
  • Dicas para o produtor enfrentar o período da seca sem prejuízos

    20/06/2018
    Confira as orientações para que a falta de chuvas não afete a produtividade dos gados de leite e de corte

    O período entre o outono e inverno é considerado também de baixa umidade devido a ausência de chuvas. Algumas cidades ficam mais de 30 dias sem ter pelo menos uma garoa ou queda na temperatura para minimizar os prejuízos do tempo seco, que afeta diretamente o produtor rural que atua com gado de leite e de corte. Para amenizar possíveis prejuízos, José Carlos Ribeiro, consultor da Boi Saúde – Pecuária Inteligente, contribui com cinco dicas para combater esses possíveis problemas:

    1. O que servir na seca para o gado: oferecer um preparado com boas taxas de proteína faz com que o gado não perca peso, o que impede a perda de vitaminas, fraqueza, entre outras doenças desenvolvidas a partir de parasitas internos, que podem afetar diretamente a produção final e causar grande impacto negativo em todo o processo de trabalho, além de afetar o lucro. O sal proteinado nada mais é que um suplemento enriquecido com proteínas, que além desse macronutriente, oferece minerais complementares para manter ou repor a deficiência no organismo do animal como: cálcio, ferro, zinco, fósforo, vitaminas A e E, entre outros. A deficiência mineral causa um quadro de sintomas gerais no gado, que afeta diretamente o dia a dia do animal.

    2. Armazene corretamente a ração e demais insumos: caso o produtor tenha o hábito de lavar ou molhar o local onde as rações ficam devido ao período sem chuvas para amenizar o calor e diminuir a poeira do local, nunca deixe os sacos de ração diretamente no solo, coloque-os sempre em um estrado de madeira porque a umidade sempre altera a matéria seca e pode causar doenças como o botulismo.

    3. Complemente a alimentação com moringa. Originária do norte da Ásia, é uma planta de alto teor nutritivo. Inclusive órgãos federais e estaduais têm comprovado por meio de pesquisas e estudos os nutrientes. É muito resistente às pragas e atinge o ponto de corte com seis meses de cultivo. O que significa uma boa lucratividade, principalmente nos gados de leite e de corte. Para ser oferecida como alimentação para gado, a moringa deve ser triturada e armazenada em sacos. Após desidratá-la, pode ser incluída no cocho em épocas de seca. Além de um alto teor nutritivo, a economia será grande durante esse período, cujo cuidado com o plantel precisa ser redobrado.

    4. Use a cana. Silagem de cana-de-açúcar que é um excelente alimento para todos os animais e o maior investimento que o produtor faz é na alimentação e nutrição. A cana é utilizada por ter uma quantidade de açúcar muito boa, o que dá energia para o gado, é um alimento que dá em qualquer solo brasileiro.

    5. Economize água na sua propriedade: As dicas a seguir economizam cerca de 30% de água: instale calhas para captação de água pluvial e armazene em tonéis ou barris e usar para lavar o chão do curral, da sala de ordenha e dos utensílios; Utilize máquinas sob pressão, pois além de economizar até 50% de água, elas removem os dejetos com mais facilidade. Se você também trabalha com lavoura, utilize a irrigação noturna. Durante a noite não tem muito vento e a evaporação é menor.

    Fonte: Boi Saúde – Pecuária Inteligente



  • Temple Grandin: Práticas de bem-estar animal traz vantagens para o gado e para o pecuarista

  • Pesquisadora norte-americana Temple Grandin está no Brasil e fala sobre a preocupação com o bem estar animal e sua importância para obter-se mais produtividade na fazenda. Ela é uma das maiores autori

    + leia mais
  • Planejamento estratégico é requisito para pasto produtivo

  • Pasto produtivo, no novo conceito de mercado, é fundamental para que o produtor sobreviva e tenha rentabilidade.

    + leia mais
  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • Por uma nova pecuária brasileira

  • O livro Carne e Osso lançado em 2015 pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne traz um relato inédito sobre as origens e a evolução da indústria da carne brasileira, a reboque da

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites