• Genética
  • GERAR CORTE inicia maratona de reuniões sobre IATF/TETF pelas regiões pecuárias do Brasil

    26/07/2016
    Grupo de técnicos comemora dez anos de existência e reúne banco de dados de quase três milhões de protocolos aplicados em campo

    Participe de qualquer roda de conversa entre pecuaristas ao fim de uma estação de monta e perceberá que o bate-papo caminhará naturalmente para assuntos relacionados ao desempenho em campo em cada uma das fazendas, contendo perguntas sobre os principais acertos, gargalos e desafios enfrentados no período e, sobretudo, os resultados finais alcançados após o uso intensivo de importantes ferramentas reprodutivas, como a IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo). Profissionalizar essas conversas é uma das a propostas do GERAR (Grupo Especializado em Reprodução Aplicada ao Rebanho), um grupo qualificado de 250 técnicos (a maioria médicos veterinários), que neste ano completa dez anos de existência, consolidando-se como referência no trabalho científico de agrupamento de dados reprodutivos de fazendas de gado de corte e de leite espalhadas pelo Brasil.

    Com inclusão dos números da última estação de monta (2015/2016), somente o GERAR CORTE contabiliza um banco de dados com quase três milhões de protocolos de IATF/TETF (Transferência de Embrião em Tempo Fixo) coletados pelos técnicos ao longo da uma década.  “O grupo tornou-se uma fonte de discussão técnica. Após a apresentação dos dados, debatemos estratégias para otimizar os resultados, o que permite aos técnicos participantes atualizar a orientação aos pecuaristas sobre a melhor forma de incrementar os índices zootécnicos relacionados à eficiência reprodutiva do rebanho”, diz José Luiz Moraes Vasconcelos, o “professor Zequinha”, da FMVZ-UNESP Botucatu-SP, a universidade responsável pelas análises dos dados das fazendas assistidas pelos técnicos do grupo e pelo trabalho de orientação e aperfeiçoamento dos protocolos reprodutivos.

    À frente do grupo desde a sua fundação, em 2006, o professor Zequinha marcará, como nos anos anteriores, presença nas sete reuniões do GERAR CORTE em 2016, programadas para ocorrer de julho a setembro de 2016, nos Estados do MS, MT, RS, SP, GO, MA e MG. “Nesses encontros, reuniremos não só os técnicos que atuam nas propriedades situadas em cada um dos Estados escolhidos para sediar as nossas reuniões, mas também outros profissionais e palestrantes que trabalham em diferentes regiões pecuárias do País”, destaca Mauro Meneghetti, Gerente da Linha de Cria – Bovinos da Zoetis, empresa incentivadora e apoiadora do GERAR.  Atualmente, o trabalho do GERAR envolve mais de mil fazendas de gado de corte situadas em 18 Estados brasileiros, além do Distrito Federal.

    Na primeira reunião deste ano, que ocorrerá em Bonito (MS), entre 28 e 30 de julho, serão apresentados os dados gerais de protocolos de IATF/ TETF coletados durante a estação de monta 2015/2016 e analisados pela equipe da UNESP/Botucatu-SP. Nesse mesmo encontro, que contará com a presença de cerca de 40 técnicos, também serão apresentados os números reprodutivos do Mato Grosso do Sul, levantados por profissionais locais. “Tanto em Bonito quanto nos demais encontros regionais deste ano, seguiremos o mesmo modelo de sucesso das reuniões anteriores, ou seja, trocaremos informações e experiências que certamente irão resultar em melhorias dos manejos reprodutivos a serem efetuados na temporada seguinte”, afirma Zequinha.

    Além dos números consolidados da última estação de monta, o GERAR CORTE 2016 traz como novidade a participação nas reuniões regionais de alguns pecuaristas e/ou funcionários  de algumas propriedades que se  destacaram no ranking de fazendas GERAR de cada região. “Em qualquer debate técnico, é sempre bom contar também com a presença e a opinião do principal elo dessa cadeia, que é o produtor”, avalia Meneghetti.

    Riqueza de dados

    Os números do GERAR CORTE impressionam. Acrescentando as informações da última estação de monta, o grupo mantém atualmente um banco de dados com 2.996.900 protocolos de IATF/ TETF. “Não há no mundo um grupo que tenha alcançado tal marca”, enfatiza Izaias Claro Junior, Coordenador de Serviços Técnicos – Bovinos da Zoetis. O GERAR foi criado em 2006 e começou a coletar os dados de campo no ano seguinte. De lá para cá, o número de fazendas participantes do GERAR saltou de 73 propriedades (em 2007) para 1.236 (em 2016). Nesse mesmo intervalo de tempo, o GRUPO elevou a sua base de técnicos de 40 para 250, informa Izaias. A partir de 2014, com o avanço do uso da técnica de IATF e a proliferação de profissionais na área de reprodução, o GERAR, que até então promovia um único encontro de técnicos por ano, passou a realizar sete reuniões, decisão que contribuiu para expandir consideravelmente a sua base de dados coletados. 

    Ganho de eficiência

    As informações coletadas pelo GERAR são muito variadas e de alta qualidade. Dentre todos esses dados, chama a atenção a expressiva evolução dos resultados de IATF das fazendas orientadas pelos técnicos do grupo. Da estação de monta 2007/2008 para 2015/2016, a taxa média de prenhez à primeira IATF saiu do patamar de 48,2% para quase 52%. “Trata-se de avanço bastante significativo, pois é preciso considerar que, nesse período de dez anos, o número de matrizes inseminadas saltou de 36.148 (em 2007) para 824.486 (dados da última estação de monta)”, compara Izaias. Segundo ele, quanto maior o número de animais inseminados, maior é o desafio de conseguir bons resultados à IATF, devido à variação da qualidade do rebanho.

    Mauro Meneghetti lembra que atualmente a maior parte das fazendas que entregam dados de IATF ao GERAR consegue uma taxa de prenhez à primeira IATF acima de 50%. Além disso, algumas propriedades atendidas por técnicos do GERAR têm conseguido índices médios de prenhez acima de 70% logo na primeira Inseminação em Tempo Fixo. “Quando o GERAR foi criado, os protocolos de IATF ainda não estavam totalmente definidos, não havia padrão nos resultados reprodutivos das fazendas e nem o mais otimista dos pecuaristas poderia imaginar que conseguiria atingir, na primeira sincronização de sua vacada, uma taxa média de fertilidade de 70%”, comenta Meneghetti. “Ficamos muito orgulhosos de poder seguir trocando informações e contribuindo para a alta produtividade nas fazendas por meio da parceria com a Zoetis”.

     Sobre a Zoetis

    Zoetis é uma companhia global líder em saúde animal, dedicada a apoiar os clientes e seus respectivos negócios. Com um legado de 60 anos de história, a Zoetis descobre, desenvolve, fabrica e comercializa medicamentos e vacinas de qualidade, além de oferecer uma linha de produtos para diagnósticos e testes genéticos, somados a uma série de serviços. A Zoetis trabalha continuamente com veterinários, produtores e pessoas que criam e cuidam de animais em mais de 100 países. Em 2015, a empresa obteve faturamento de 4,8 bilhões de dólares com cerca de 9 mil funcionários. Para mais informações, acesse www.zoetis.com.br .

    Fonte: Zoetis / HD

  • Projeto Campos do Araguaia busca adequação ambiental em propriedades do MT

  • O projeto irá apoiar a intensificação e restaurar de 130 mil hectares de pastagens no Médio Araguaia/MT. Serão realizadas adequação ambiental e intensificação sustentável em 50 propriedades rurais em

    + leia mais
  • Rally da Pecuária 2017 vai a campo em cenário de maior oferta

  • Produtores mais tecnificados tendem a manter ou até aumentar a rentabilidade apesar da queda nos preços

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites