• Genética
  • GT vai elaborar IN para definir categorias de registro genealógico

    23/02/2015
    Instrução Normativa será adotada pelo Serviço de Registro Genealógicos das entidades brasileiras.

    Foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira (20), a criação de um Grupo de Trabalho que terá o objetivo de elaborar uma Instrução Normativa (IN) para definir as categorias de registro a serem adotadas pelo Serviço de Registro Genealógico das entidades. Essas normas têm por objetivo a padronização das nomenclaturas das categorias de registro, ou seja, irão definir os graus de pedigree de cada animal.

    O registro genealógico visa ao controle da genealogia dos animais, ou seja, os ascendentes e descendentes, a fim de contribuir para o melhoramento genético animal, por meio de cruzamentos controlados/direcionados. Isso contribui para uma eficiência produtiva animal, trazendo resultados positivos para o agronegócio nacional, com qualidade nos produtos, maior oferta e menor preço de mercado.

    O GT deverá realizar reuniões técnicas com órgãos e entidades da Administração Pública Direta e Indireta que possuam conhecimento técnico no tema e com outras instituições públicas e entidades privadas, além de convidar especialistas para contribuir com as atividades a serem desempenhadas.

    Farão parte do Grupo de Trabalho diversos Fiscais Federais Agropecuários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), especificamente da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC) e das Superintendências Federais de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SFA) de Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.

    O coordenador do GT será o Fiscal Federal Agropecuário, Felipe José de Carvalho Correa, como titular, e Luiz Felipe Ramos Carvalho, como suplente, que ficarão responsáveis pela programação das atividades, realização das reuniões e convocação dos membros, convidados e colaboradores eventuais.

    Grupo de Trabalho terá um prazo de 180 dias (seis meses), contados a partir da publicação no DOU, para concluir os trabalhos e apresentar a Instrução Normativa.

    Íntegra da publicação que cria o GT, no link:

    http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=20/02/2015&jornal=2&pagina=4&totalArquivos=72

    Fonte: MAPA

     


  • Suplementação mineral é essencial para rebanho, mas exige medida específica

  • Não existe receita de sucesso e é preciso fazer análise real de cada caso

    + leia mais
  • A vez delas também na pecuária

  • Estamos falando das fêmeas bovinas como fiel da balança na hora de melhorar a rentabilidade do negócio. Na cobertura a campo, predominante na pecuária nacional, produzem em média 28 filhotes por ano,

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Genética no tempo, sem artificialismos

  • Respeitando a fixação de características no rebanho ao longo do tempo sem quaisquer maquiagens nas informações observadas e coletadas no campo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites