• Entrevista
  • Livros infantis mostram que pecuária como vilã da natureza é história para boi dormir

    04/05/2022
    Obras apresentam Anninha, a curiosa e antenada personagem fictícia que investiga e faz descobertas sobre principais mitos da pecuária, como sustentabilidade e consumo de carne bovina

    Uma iniciativa da zootecnista e escritora Helen Fernanda Barros Gomes, professora da Universidade Federal de Rondonópolis-MT quer mostrar para as crianças que a pecuária brasileira não é o que dizem por aí: vilã e arqui-inimiga do meio ambiente. Ao contrário, porque a autora publicou recentemente dois livros cujas historinhas relatam, de forma didática, que a nossa pecuária é sustentável e fornece alimento de qualidade para a população.

    Conforme consta nas obras de Helen, a personagem é a “Anninha“, uma garotinha curiosa e antenada em programas de TV e redes sociais que, de tanto ouvir que os bovinos estão acabando com o meio ambiente e que seria melhor que deixássemos de comer carne, decide ir atrás de respostas. Nesse sentido, duas obras já foram lançadas. Primeiramente, “Anninha em… será que a vaca quer acabar com o planeta?”. Além disso, “Anninha em… será que os seres humanos precisam comer carne?”.

    PARA PAIS E FILHOS
    Helen revelou que a ideia de escrever os livros surgiu a partir do momento em que virou mãe. E por sugestão de seu esposo passou a unir sua profissão de zootecnista com o dom para escritora. Assim, nasceram obras que traduzem as principais desinformações sobre a pecuária, como, por exemplo, consumo de carne e sustentabilidade, de forma didática para pais e filhos.

    Conforme salientou a professora, não somente as crianças, mas os pais também são instruídos pelas obras. No início de cada livro, há uma explicação que contextualiza as informações para que os adultos possam fazer as crianças aproveitarem todo o potencial dos textos.

    “A ideia é que os assuntos, apesar de polêmicos, apesar de importantes, pudessem ser entendidos por qualquer tipo de pessoa. Mesmo aquelas que não têm ligação nenhuma com o setor rural. […> É fácil de ser lida, fácil de ser entendida. E no começo do livro, eu coloco uma apresentação e explico para o adulto responsável como o livro tem que ser lido para a criança. Então tem informações importantes que o adulto tem que chamar atenção”, observou Helen.

    Conforme pontuou o presidente da Acrimat, a obra vai ao encontro de uma demanda importante para o setor. “A gente sofre isso na pele também. É o dia inteiro notícias falaciosas, mentirosas, às vezes com interesses obscuros. A gente não consegue diferenciar a origem e é muito complicado. Então a gente apoia essas iniciativas. Essa da professora Helen, é uma iniciativa cultural, com livros, que vem desmistificar essas coisas. Então para a Acrimat é um prazer participar desta iniciativa”, celebrou Oswaldo Junior.

    VALORIZAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA
    De acordo com Helen, as obras vão além de desmistificar assuntos técnicos e promovem a valorização do setor como um todo. “O bacana das histórias é que além de desmistificar esses pontos sobre o consumo de carne, sobre a destruição da camada de ozônio ou efeito estufa pelos gases emitidos pelos bovinos, eu ainda abordo a importância da valorização dos profissionais da cadeia produtiva, como os zootecnistas, veterinários, todos os profissionais envolvidos que estão ali no dia a dia no campo. Eles lutam para que todas as exigências, todas as novas técnicas de manejo, de nutrição, melhoramento genético, inclusive bem-estar animal, sejam aplicadas dentro da propriedade e também no abate. Para que a pessoa possa comprar a carne, o seu produto e ir para casa satisfeito”, comentou.

    Ao todo, a parceria da professora com a Acrimat e a iBeef resultou numa primeira tiragem de 5 mil exemplares para atender Rondonópolis e região em MT. Contudo, a ideia é expandir o projeto para que mais crianças possam acessar as obras, e não somente nas cidades. Helen Fernanda apontou que parcerias podem ser estabelecidas com empresas e fazendas que queiram inserir sua logomarca nas obras e imprimir tiragens específicas para seus públicos.

    “Mesmo aquelas pessoas que estão dentro das fazendas, elas podem levar o exemplar para os amiguinhos dentro da sala de aula. Porque ela valoriza o trabalho dela, o trabalho dos pais dela. Mostra que fazem um trabalho extremamente importante para a sociedade. Então ele se sente parte daquele mundo e começa a valorizar aquela produção. E aí desmistifica para os amigos essa questão do consumo da carne. Comer carne todo dia é importante para o nosso correto crescimento e desenvolvimento? É sim! As crianças precisam e a carne tem vitaminas, minerais, ferro, ácidos graxos essenciais que vão ser extremamente importantes para o desenvolvimento de todas as células, principalmente as cerebrais. Então só tem benefícios!”, sustentou a zootecnista.

     

    Fonte: Giro do Boi

    Curadoria: Boi a Pasto



  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites