• Notícias
  • Matsudinha, preocupação com a Responsabilidade Social

    28/02/2019
    A arrecadação das vendas do livro será revertida ao Hospital do Câncer de Goiás (HCG).

    Aline Matsuda com a mascote Matsudinha, na apresentação do livro “Jorge Matsuda”

    Após ter passado por um grave problema de saúde, nos últimos dois anos, do qual encontra-se plenamente restabelecido,  o diretor-presidente do grupo, Jorge Matsuda, na companhia do médico-veterinário  Fernando N.A. de  Carvalho, escreveram a sua biografia, lançada no evento dos 70 anos, na unidade de Álvares Machado (SP), cuja arrecadação das vendas vem sendo revertida aos hospitais do câncer de cada região onde a marca  Matsuda está fincada. Na Unidade de Goiânia, foi a vez dessa capital receber os dividendos da venda da obra, na pessoa do presidente do Hospital do Câncer de Goiás (HCG), Wagner Miranda.

    Para selar esse compromisso com as obras do HCG, Aline Matsuda, diretora executiva do Grupo, chamou ao palco o personagem Matsudinha, criado para representar a marca nos projetos de Responsabilidade Social e Esportiva da empresa, que não são poucos. Ela lembrou que a Matsuda já patrocina, há décadas, atletas paraolímpicos de canoagem, campeões de jiu-jitsu, bikers, times de futebol, e projetos de sustentabilidade como o Quelônios (RD), de resgate e devolução à água de milhares de tartarugas e jabutis, na fronteira entre o estado de  Rondônia e a Colômbia – projeto que já foi  alvo de elogios do Greenpeace e prêmios internacionais.

    O presidente do Hospital do Câncer de Goiás (HCG), Wagner Miranda recebeu um exemplar da biografia, com cerca de 500 páginas coloridas e em capa dura, das mãos da mascote Matsudinha e agradeceu ao Grupo pelo sensível gesto de apoio à construção do hospital, cuja maquete foi apresentada, num telão, aos presentes. Ao término de sua apresentação, ele convidou o Secretário Estadual da Indústria e Comércio, Wilder Soares, para que fosse o embaixador da obra, junto aos órgãos públicos e ao Governo do Estado de Goiás. Segundo ele, a construção do HCG depende da iniciativa privada, mas tem que contar, também, com o apoio dos governos, estadual e federal, no que foi atendido, prontamente, com um aceno de cabeça afirmativo pelo Secretário. 

    Após as palestras técnicas que se seguiram nos canteiros de amostras agrostológicas, o evento adentrou a noite, com um mais que benvindo churrasco de costela-de-chão, assinado pela equipe Beefbeer, acompanhado de arroz carreteiro, chopp e pocket-shows de bandas sertanejas regionais, bem ao estilo goiano de ser: carne, cerveja e música apaixonada para comemorar cada conquista.

    Redação de Marisa Rodrigues, enviada especial da Taxi Blue à Goiânia, pelo Grupo Matsuda 



  • Suplementação mineral é essencial para rebanho, mas exige medida específica

  • Não existe receita de sucesso e é preciso fazer análise real de cada caso

    + leia mais
  • A vez delas também na pecuária

  • Estamos falando das fêmeas bovinas como fiel da balança na hora de melhorar a rentabilidade do negócio. Na cobertura a campo, predominante na pecuária nacional, produzem em média 28 filhotes por ano,

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Genética no tempo, sem artificialismos

  • Respeitando a fixação de características no rebanho ao longo do tempo sem quaisquer maquiagens nas informações observadas e coletadas no campo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites