• Conjuntura
  • Mesmo após operação da Polícia Federal, exportação de carne cresce 4,4% em março

    04/04/2017
    Comparação feita com o mês de março de 2016 utilizou o critério utilizado da média diária, que leva em consideração o valor negociado por dia útil


    Operação da Polícia Federal não derrubou valor total exportado, que subiu 9% em março

    Mesmo com a deflagração da Operação Carne Fraca, ação da Polícia Federal que resultou no fechamento de frigoríficos e na suspensão das exportações da carne brasileira para alguns países, as vendas de carnes bovina, suína e de frango para o exterior cresceram 4,4% em março, na comparação com o mesmo período de 2016. Os dados foram divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Comércio Exterior e Serviços nesta segunda-feira (3).

    O critério utilizado para a avaliação foi o da média diária, que leva em conta o valor negociado por dia útil. Mesmo com a operação da Polícia Federal, o valor total exportado subiu 9% no mesmo período. Ao separar os produtos, as exportações da carne bovina foram as únicas a registrar queda no mês. Houve recuo de 6,1% em relação a março de 2016, segundo o critério da média diária.

    A venda de carne bovina também registrou queda de 1,7% ao considerar o valor total exportado em todo o mês de março, que ficou em US$ 404 milhões ante US$ 411 milhões em março do ano passado.
    No caso das vendas de carne suína e de frango, foi observado um crescimento levando em conta tanto a média diária (alta de 43,2% para a suína e 7% para a carne de frango) quanto o valor total exportado no mês de março, comparando-se com o mesmo mês do ano passado (alta de 39,4% nas vendas de carne suína e de 11,74% nas de frango).

    Tendência

    Herlon Brandão, diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do ministério, disse que já havia uma “tendência” de queda nas exportações da carne bovina desde o início de 2017, antes de a operação da PF ser deflagrada.

    O diretor afirma que, de janeiro a março, as vendas externas do produto caíram 5,1% pela média diária em relação ao primeiro trimestre de 2016 (de US$ 18,7 milhões para US$ 17,2 milhões). O valor total exportado caiu 1,99% no mesmo período (de US$ 1,104 bilhão para US$ 1,082 bilhão).

    Impacto

    Depois da Operação Carne Fraca, o ministério chegou a detectar queda na média diária exportada de todas as carnes, mas segundo o diretor, a situação foi superada. “Notamos uma menor média diária na quarta semana [de março>, logo após a operação. A média exportada, que vinha se mantendo em US$ 60 milhões diários, ficou próxima de US$ 50 milhões. Essa média menor pode ter denotado alguma cautela do mercado, mas não impactou”, disse Brandão.

    Os danos causados pela descoberta de fraudes na produção e comercialização de carnes na operação da Polícia Federal, de acordo com Brandão, foram revertidos. “O governo conseguiu reverter todos os principais mercados: União Europeia, Egito, Irã, Japão, Coreia do Sul. A análise é que o pior passou. Foi um susto, mas notamos que rapidamente os embarques se normalizaram e ainda encerrou o mês com crescimento na exportação de carnes”, declarou o diretor em entrevista para a divulgação dos dados da balança comercial de março.

    Fonte: Economia - iG

  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais
  • Sistemas agroflorestais ajudam a melhorar microclima da propriedade rural

  • Sistemas Agroflorestais Biodiversos, conhecidos como SAFs, proporcionam diferentes benefícios e contribuem com o melhor controle de temperatura, da umidade relativa do ar e da umidade do solo.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites