• Genética
  • Programa Montana realiza avaliações de ultrassonografia de carcaça em 100% dos animais

    24/01/2014
    A partir deste ano, todos os animais da raça Montana serão avaliados também através de ultrassonografia de carcaça.

    montana composto tropicalA partir deste ano, todos os animais da raça Montana serão avaliados também através de ultrassonografia de carcaça.

    A partir deste ano, todos os animais da raça Montana serão avaliados também através de ultrassonografia de carcaça. A técnica será utilizada para fazer as medições de Área de Olho de Lombo (AOL), Espessura de Gordura Subcutânea (EGS) e Espessura de Gordura na Picanha (EGP) dos animais. Cerca de nove mil animais da safra 2012 já estão sendo avaliadas para dar origem às novas DEPs (Diferença esperada na progênie) do composto tropical. O Programa Montana realiza as medições desde 2008, porém apenas em parte dos animais de cada safra para análises, estudos e desenvolvimento das novas DEPs. Em uma reunião recente dos criadores da raça, ficou decidido que todos os animais nascidos a partir de 2012 serão avaliados por ultrassonografia de carcaça. ?As avaliações são importantes na busca por animais com carcaças cada vez melhores. São medidas importantes e fáceis de obter com os animais ainda vivos, além de serem muito acuradas. Com esses nove mil animais sendo avaliados, teremos mais 27 mil medições para compor o banco genético?, avalia Gabriela Giacomini, gerente de operações do Programa Montana. As medições que estão sendo feitas irão incrementar o banco de dados já existente no Programa. Doutora em melhoramento animal e qualidade da carne, Marina Bonin será responsável pelas medições de parte dos animais e destaca a importância das áreas avaliadas. ?São informações que ajudam na melhoria da raça que tem como objetivo a produção de animais melhoradores. AOL está correlacionada aos cortes nobres do animal, como os cortes do traseiro, EGS está ligado ao acabamento de carcaça e EGP às medidas de gordura depositadas na picanha, fato que nos ajuda a identificar os touros precoces?, afirma a especialista. Assim que colhidas, todas as informações serão enviadas para o banco de dados da equipe dos professores Joanir P. Eler e José Bento S. Ferraz, USP/Pirassununga, para análise do valor genético. O material será compilado com dados das safras anteriores para dar origens às novas DEPs que, em breve, entrarão para o sumário da raça Montana. Segundo Giacomini, as DEPs serão uma ferramenta importante para direcionar a produção para um rebanho mais precoce. Para mais informações acesse www.compostomontana.com.br  ou através do twitter @programamontana

    Fonte: Composto Montana



  • Cenário Econômico para o Comércio Exterior em 2020

  • O ano de 2019 não poderia ter uma notícia mais impactante para o Comércio Exterior: a “trégua” na discussão comercial acirrada entre EUA e CHINA.

    + leia mais
  • Rondônia bate o pé e não vai vacinar contra a febre aftosa

  • Entenda a decisão do governo de não esperar pelo Acre.

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites