• Sustentabilidade
  • Projeto Campos do Araguaia busca adequação ambiental em propriedades do MT

    17/05/2017
    O projeto irá apoiar a intensificação e restaurar de 130 mil hectares de pastagens no Médio Araguaia/MT. Serão realizadas adequação ambiental e intensificação sustentável em 50 propriedades rurais em nove municípios até 2018.

    Na Fazenda Água Viva, em Cocalinho/MT, duas áreas estão sendo trabalhadas como Unidades Demonstrativas do projeto Campos do Araguaia

    O Médio Araguaia, zona de transição entre o Cerrado e a Amazônia, é uma das regiões produtoras de gado de corte mais antigas do estado de Mato Grosso. A pecuária ocupa aproximadamente dois milhões de hectares de pastagens, e, embora não existam dados sistematizados sobre o desmatamento, a ocorrência de baixos índices de lotação contribui para que as taxas de desmatamento continuem elevadas. Na ausência de boas práticas agropecuárias (BPA), pastagens acabam sendo degradadas, reduzindo sua capacidade de lotação e aumentando a pressão pela abertura de novas áreas para pastagem.

    O projeto Campos do Araguaia, uma parceria do Grupo Roncador/Agropecuária Água Viva e a The Nature Conservancy (TNC), com apoio da Iniciativa de Comércio Sustentável (IDH), visa promover e apoiar a intensificação sustentável da pecuária e a adequação ambiental das propriedades rurais da região, por meio da recuperação ou reforma de pastagens degradadas e da restauração da vegetação nativa em 50 propriedades rurais de nove cidades da região.

    O projeto, iniciado em julho de 2016, já vem apresentando resultados positivos, somando a adesão de uma dezena de produtores que desejam aderir e contribuir com a intensificação sustentável da pecuária em suas propriedades.

    “A partir dos resultados iniciais dos primeiros eventos do projeto Campos do Araguaia, pode-se dizer que a receptividade na região está sendo muito boa visto que tivemos a assinatura das primeiras ‘cartas de intenção’ no Dia de Campo realizado em 8 de abril, na Fazenda Água Viva. O alinhamento entre o setor produtivo e o setor ambiental é o ponto de partida para a construção de um setor mais sustentável e responsável com o meio ambiente”, explica Caio Penido Dalla Vecchia, Diretor de Novos Negócios e Sustentabilidade do Grupo Roncador.

    Na Fazenda Água Viva, em Cocalinho/MT, duas áreas estão sendo trabalhadas como Unidades Demonstrativas do projeto Campos do Araguaia: uma para Restauração Florestal, com plantio total de mais de 40 tipos de espécies de árvores nativas, e outra para Intensificação da Pecuária.

    “O projeto Campos do Araguaia se integra aos demais projetos em implantação pela Liga do Araguaia, reforçando o componente ambiental deste movimento nascido de produtores da região, numa experiência pioneira de desenvolvimento regional sustentável a partir da adoção de um novo paradigma de produção que contribuirá para o crescimento sustentável do Médio Vale do Araguaia”, diz José Carlos Pedreira de Freitas, consultor do Grupo Roncador para Sustentabilidade e Responsabilidade Social levada à estratégia de negócios.

    A intensificação e a recuperação de pastagem estão entre as metas da estratégia PCI (Produzir, Conservar e Incluir), de Mato Grosso, bem como o restauro de Áreas de Preservação Permanente (APP) degradadas, em uma área total de 1 milhão ha até 2030. “Esse conjunto de metas tem como objetivo expandir a produção local, trazer os agricultores que estão excluídos e desenvolver ações, além de captar recursos financeiros”, aponta Fernando Sampaio, Diretor Executivo do PCI.

    Cristiane dos Santos Menino, proprietária da Fazenda Conquista, em Nova Nazaré/MT, foi a mais nova participante a aderir ao projeto, pelos benefícios que trará para sua propriedade. “Receberemos a equipe técnica para entender o que precisa ser feito. Teremos apoio para desenvolver as ações e atender as exigências necessárias, com clareza e dentro da legislação ambiental. É um projeto sério que nos apresentará informações precisas e técnicas”, afirma.

    Para Gina Timóteo, coordenadora da TNC em Mato Grosso, a parceria com as entidades promove um apoio maior à gestão do produtor e à conservação ambiental. “Estamos focados em construir soluções e desenvolver relações de confiança”, comenta.

    Daniela Mariuzzo, Líder do Programa de Territórios da IDH no Brasil, esclarece que o Projeto Campos do Araguaia reforça o compromisso da organização em colaborar com o plano de desenvolvimento sustentável do estado de Mato Grosso, PCI.

    O projeto Campos do Araguaia irá beneficiar, até dezembro de 2018, mais de 130.000 hectares de pastagens, com planos de intensificação, boas práticas e monitoramento de 500 hectares de floretas em processo de restauração de APP, influenciando outras propriedades e fortalecendo a cadeia de restauração.

    Fonte: Projeto Campos do Araguaia/Alfapress

  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • Rally da Pecuária 2017 vai a campo em cenário de maior oferta

  • Produtores mais tecnificados tendem a manter ou até aumentar a rentabilidade apesar da queda nos preços

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites