• Sanidade
  • Rebanho também sofre com doenças respiratórias no inverno

    14/07/2014
    Assim como os seres humanos, os animais de grande porte – bovinos, suínos, equinos, caprinos etc. – também sofrem com a seca e as baixas temperaturas do inverno.

    Assim como os seres humanos, os animais de grande porte – bovinos, suínos, equinos, caprinos etc. – também sofrem com a seca e as baixas temperaturas do inverno. Neste período, doenças respiratórias, como bronquite e pneumonia, são frequentes, pois as condições climáticas da estação mais fria do ano facilitam a disseminação de algumas partículas infecciosas. Em regiões onde o clima é seco, esses fragmentos se mantêm suspensos no ar e, quando associados a um ambiente fechado e sem ventilação, auxiliam ainda mais no desenvolvimento desses males. Os principais agentes causadores, nesses casos, são os vírus e as bactérias.

    A estiagem afeta, em particular, os bovinos, pois a falta de chuvas atinge diretamente as condições das pastagens, tornando-as escassas. A veterinária da UCB Saúde Animal Gisele Andrade ressalta as ameaças das doenças de inverno. “Em grandes animais os perigos desses males podem se potencializar se eles não estiverem em condições de saúde, ambientais e nutricionais adequadas, e considerando a forma de transmissão de determinada doença, o risco de todo o rebanho se contaminar e desenvolver a patologia também é maior”, conta. Os proprietários, porém, não precisam se preocupar com a própria saúde, pois essas doenças não são consideradas zoonoses, ou seja, não são transmitidas aos humanos.

    Tratamento

    A especialista lembra que, para um tratamento eficaz, é necessária a consulta de um médico veterinário que indicará o procedimento adequado. Comumente são utilizados medicamentos antimicrobianos na terapia. Gisele Andrade ainda avisa que é preciso ter cuidado com aqueles animais já debilitados ou com algum fator de risco. “Qualquer doença pode ter um quadro de evolução que os levem a óbito, principalmente entre aqueles mais jovens ou idosos, ou os não vacinados adequadamente e em condições de má nutrição, o que os tornam mais susceptíveis a doenças, não só às de inverno, mas como qualquer outra”, completa.

    Fonte: Milagre do Verbo 



  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites