• Nutrição
  • Reformar pastagens na Amazônia pode ser mais barato que desmatar, aponta estudo

    01/09/2021
    Além de ambientalmente responsável, reformar pastagens e investir no aumento da produtividade pecuária na Amazônia pode ser mais barato do que derrubar florestas visando a abertura de novas áreas.

    É o que aponta estudo divulgado nesta quarta-feira (1/9) comparando os custos necessários para fazer frente ao crescimento de 1,4% ao ano na produção brasileira de carne bovina projetada pelo Ministério da Agricultura.

    Partindo de um aumento na produtividade de 80 quilos por hectare para 300 quilos por hectare, proporcionado pela melhoria das condições de pastagem, o estudo avalia que seria necessária a recuperação de 170 mil hectares a um custo de R$ 270 milhões por ano para atender ao crescimento esperado da demanda por carne bovina nos próximos anos. Essa área corresponde a 0,37% do total de pastos degradados no país. Já a expansão sobre áreas de vegetação nativa demandaria 633,9 mil novos hectares sem ganho de produtividade e a um custo 71,5% superior, avaliado em R$ 950 milhões.



  • Sistemas integrados podem minimizar efeitos adversos da geada

  • Em Naviraí, no Mato Grosso do Sul, as árvores em sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) protegeram 100% da pastagem

    + leia mais
  • Deputado pede suspensão de medida que autoriza abater vacas prenhas

  • Projeto de Decreto Legislativo pede que seja sustada a aplicação de artigo em portaria do Ministério da Agricultura sobre abate humanitário de bovinos

    + leia mais


  • Criação de sites