• Sanidade
  • Saiba como prevenir a Pododermatite no rebanho e aumentar a lucratividade de seus negócios

    02/10/2018
    A doença acomete os cascos dos bovinos e pode levar à morte do animal

    A pododermatite é uma das principais doenças que acometem bovinos leiteiros. Ela consiste em uma lesão infecciosa nos cascos dos animais e em sua maioria ocorre devido à exposição do animal a superfícies irregulares, com pedras, pastos secos, ambientes úmidos e com más condições de higiene. Além do desconforto causado no animal, que sente dores e apresenta febre, a doença acarreta em prejuízos elevados aos produtores. Dentre os sintomas, observa-se diminuição da produção de leite, perda de peso, comprometimento da fertilidade e aumento na taxa de descarte. Por essa razão, o produtor deve ficar atento às diferentes áreas de manejo da fazenda, para prevenir e detectar o problema o mais cedo possível. Veja as dicas de Andressa Ranieri, coordenadora técnica de bovinos de leite da Zoetis, líder mundial em saúde animal, para prevenir esta doença:

    • Evite pisos muito duros. Enquanto a superfície de terra absorve o impacto da locomoção, o concreto transmite o impacto de volta ao casco, o que pode contribuir para as lesões;
    • Se possível, permita acesso diário a pisos de terra bem drenados e sem detritos. Isto vale tanto para vacas confinadas quanto para as criadas a pasto;
    • Evite que as vacas tenham que ficar em pé em pisos de concreto por longos períodos, como em salas de espera e ordenha;
    • Verifique a taxa de conforto dos barracões. A proporção de vacas deitadas é um bom indicativo de conforto tanto para sistema de confinamento quanto para criações a pasto.
    • Faça o casqueamento e pedilúvio desde cedo em animais ainda jovens;
    • Promova uma nutrição que contemple zinco, cálcio, fibras e vitaminas E e D.

    O quadro de pododermatite pode se agravar rapidamente, por isso é fundamental iniciar o tratamento o quanto antes. A solução se dá por meio de antibiótico sistêmico com longo período de ação, uma vez que a cura bacteriológica só ocorre com o tratamento prolongado, e de solução tópica no casco. Andressa ressalta que o medicamento deve garantir a rápida recuperação do animal, como o Excede, da Zoetis, que age por sete dias seguidos com uma única aplicação e não possui períodos de carência e nem necessidade de descarte de leite. “Doses únicas proporcionam menos manejo, o que significa maior bem-estar para os animais, garantia do tratamento completo e mais rentabilidade para o negócio”, explica a coordenadora técnica de bovinos de leite da Zoetis.

    Fonte: Zoetis



  • A vez delas também na pecuária

  • Estamos falando das fêmeas bovinas como fiel da balança na hora de melhorar a rentabilidade do negócio. Na cobertura a campo, predominante na pecuária nacional, produzem em média 28 filhotes por ano,

    + leia mais
  • Uma nova revolução

  • Eficiência alimentar passa a ser grande preocupação dos principais selecionadores de bovinos do País. A característica promete conferir maior competitividade à produção de carne vermelha.

    + leia mais
  • Pecuária competitiva é quebra de paradigma

  • Nada de fórmulas milagrosas. Tudo é trabalho, transpiração, interpretação de números e fatos, além de contínuo aprimoramento pessoal como empreendedor.

    + leia mais
  • Temple Grandin: Práticas de bem-estar animal traz vantagens para o gado e para o pecuarista

  • Pesquisadora norte-americana Temple Grandin está no Brasil e fala sobre a preocupação com o bem estar animal e sua importância para obter-se mais produtividade na fazenda. Ela é uma das maiores autori

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites