• Manejo
  • Selo de bem-estar animal Certified Humane mostra que nenhum animal foi maltratado do nascimento ao abate

    26/07/2017
    Uma boa imagem diz quase tudo – ou pelo menos tudo o que é importante ser dito. Por isso o Instituto Certified Humane trata com todo zelo, carinho e dedicação o selo de bem-estar animal que identifica as empresas certificadas.

    Eis uma premissa válida para vários aspectos da vida: símbolos transmitem  mensagens poderosas. Pense nas alianças que os noivos trocam para confirmar o compromisso que ambos assumem entre si ou na paixão que os torcedores nutrem pelos escudos e bandeiras de seus times. Ou, ainda, na força dos logotipos das empresas de sucesso.

    O selo de bem-estar animal Certified Humane transmite uma mensagem poderosa aos consumidores: quem escolhe um alimento cuja embalagem é marcada com o selo contribui para sustentar uma cadeia na qual nenhum animal foi maltratado ou teve seu bem-estar ameaçado, do nascimento ao abate.

    Ele ocupa apenas um pequeno espaço na embalagem dos produtos certificados, mas simboliza um compromisso com o bem-estar animal que se estende por uma longa cadeia de produção e por todo o tempo de vida dos animais que dão origem a um alimento ou matéria-prima.

    Qualquer um pode obter o selo de bem-estar animal – mas nem todos estão dispostos a assumir esse compromisso.

    Muitas vezes você já deve ter lido que qualquer empresa pode obter a certificação. É verdade: as normas são objetivas, o processo é descomplicado e empresas e propriedades de praticamente todos os portes podem arcar com os custos – ainda mais quando comparados aos benefícios que se pode obter no mercado ao atrair consumidores preocupados com a qualidade de vida dos animais. Por outro lado, o selo de bem-estar animal não é para qualquer um – porque nem todas as empresas estão dispostas a enveredar por esse caminho, assumindo as responsabilidades que vêm com a certificação.

    De fato, não falta por aí quem defenda em público a bandeira do bem-estar animal, mas a ignore solenemente quando ninguém estiver prestando atenção, em fazendas com instalações precárias, no transporte inadequado ou em abatedouros mal-ajambrados – locais onde bovinos, suínos, aves e outras espécies que nos alimentam adoecem, sofrem e se machucam.

    Separar quem é realmente comprometido com o bem-estar animal daqueles que buscam apenas o lucro fácil com um discurso vazio é a missão do Instituto Certified Humane, uma organização não-governamental sem fins lucrativos. O selo de bem-estar animal que as empresas certificadas ganham o direito de exibir sinaliza claramente que em algum momento o sócio de uma empresa ou o dono de uma fazenda decidiu que seu negócio não podia crescer às custas do sofrimento desnecessário de um ser vivo.

    Por isso, provavelmente teve de adaptar sua linha de produção ou fazenda. Teve de investir para treinar e qualificar seus funcionários. Precisou, acima de tudo, comprometer-se com a transparência, abrindo periodicamente sua propriedade ou empresa para o escrutínio dos inspetores que vão a campo averiguar se as boas práticas de bem-estar animal estão mesmo sendo seguidas. O selo Certified Humane mostra em quem os consumidores podem, de fato, confiar.

    Saiba mais em: http://certifiedhumanebrasil.org/

    Fonte: Instituto Certified Humane Brasil



  • Carne de qualidade que respeita aos critérios socioambientais ainda pode ser rentável?

  • Como em qualquer outro negócio, para a produção de carne bovina ser rentável existem duas principais alternativas: receber mais pela arroba vendida ou produzir uma arroba mais barata. As duas alternat

    + leia mais
  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • iLPF proporciona estabilidade da oferta de forragem na propriedade leiteira

  • A região de Unaí, no Noroeste de Minas Gerais, é uma das principais bacias leiteiras do estado. Além do período da seca, a forte influência de veranicos e as altas temperaturas durante as águas são um

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites