• Manejo
  • Sombreamento evita estresse calórico em dias quentes

    01/07/2021
    Embora estejamos no inverno com queda nas temperaturas e geadas por todo o Brasil, é nessa época que o produtor deve se preparar para os dias quentes.

     

    Segundo uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o sombreamento aumentou em 22 e 24% a produção leiteira das fêmeas Gir e Girolando respectivamente, em piquetes sombreados quando comparada à produção em manejo tradicional. O estresse calórico é uma das causas de grande impacto econômico na eficiência de vacas leiteiras, provocando efeitos negativos na produção de leite, assim como na reprodução desses animais, podendo,  ainda, provocar distúrbios metabólicos e diminuir a eficiência do sistema de defesa do animal, proporcionando maiores chances de ocorrência de doenças.Esse estresse calórico provoca nos animais uma redução no consumo de alimentos, sendo que essa é uma tentativa do animal em diminuir o metabolismo basal, buscando manter a temperatura constante. Esta redução no consumo de alimento impacta de forma negativa na produção de leite.

    Vacas que estão em período de lactação, apresentam maior consumo de alimentos e, consequentemente, apresentam maior dificuldade em manter o  equilíbrio térmico, principalmente quando em situação de estresse térmico, seja ela por irradiação solar ou altas temperaturas. O sombreamento, devidamente planejado, poderá impactar de forma positiva na produtividade dos animais, diminuindo a sensação térmica provocada pelas altas temperaturas e diminuindo a irradiação excessiva do sol, tendo efeito direto na melhoria do consumo de alimento.

    Temos duas formas de fazer o sombreamento, podendo ser naturais e artificiais. As sombras naturais, proporcionadas por vegetações nativas ou mesmo de reflorestamentos, têm por objetivo impedir a incidência solar e reduzir a temperatura ambiental por meio da atividade evaporativa das folhas, amenizando os efeitos indesejáveis do clima tropical, caracterizado por ser quente e úmido, proporcionando assim o conforto térmico para os animais.

    + Leia Mais 
    Sistema ILPF pode ser utilizado como sombreamento natural para o gado

    Sobre o sombreamento artificial, conforme destacado em algumas pesquisas, há uma redução de 30% a 50% da carga total de calor, sendo que é importante considerar a sua localização, orientação conforme o clima e tamanho da sombra.Para utilização de sombreamento artificial, é indicado de 3,5m² a 4,5m² de espaço de sombra por vaca leiteira, com recomendação da orientação de norte-sul com o objetivo de a luz solar sob a sombra secar o chão, evitando o acúmulo de água e formação de lama, diminuindo as chances de contaminação das glândulas mamárias dos animais.

    Essa alternativa de sombreamento pode ser realizada com estruturas simples como sombrites (mínimo 80% de sombra), podendo ser fixos ou móveis, sendo que a opção de móvel é indicado em situações as quais se queira evitar a formação de malhadouros, degradação do solo e pastagens.

    O sombreamento artificial como alternativa para o sombreamento natural é uma alternativa interessante, no entanto, não é tão eficiente pensando em capacidade de alterar a temperatura atmosférica ou umidade relativa do ar, sendo que esses fatores são importantíssimos para que um animal em situação de estresse calórico possa realizar o processo de termorregulação de forma mais eficiente.Diante disso, fica claro que o sombreamento natural é a alternativa mais indicada para vacas leiteiras a pasto com o objetivo de se evitar o estresse calórico.

    Artigo: Cícero Pereira de Carvalho Júnior, Médico Veterinário do Grupo Matsuda na unidade de Imperatriz no Maranhão



  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

  • CAP disponibiliza curso gratuito de proteção de ruminantes e equinos em transporte de longa duração

    + leia mais
  • Starrett troca plástico por papelão nas embalagens de Serra Manual e eliminará o consumo de 7,9 toneladas do material ao ano

  • Substituição reduzirá ainda em 25% as emissões de CO2; Objetivo da empresa é que todas as suas embalagens sejam sustentáveis

    + leia mais
  • IICA e Fundo Verde do Clima fecham parceria de US$ 100 milhões para projetos de redução das emissões de metano nas Américas

  • Para secretário de Inovação do Mapa, Fernando Camargo, iniciativa pode ajudar países a cumprirem meta de diminuir as emissões de metano na pecuária

    + leia mais
  • Lei de pagamento por serviços ambientais é incentivo para cuidar do pasto

  • Pesquisadores da Embrapa destacaram a ligação entre das boas práticas de manejo do pasto e a nova lei de pagamento por serviços ambientais

    + leia mais


  • Criação de sites