• Conjuntura
  • Superávit com exportações do agronegócio cresce 20% em São Paulo

    17/05/2022
    Em janeiro, as exportações do agronegócio no estado registraram aumento de 12,8% no faturamento, alcançado US$ 1,32 bilhão

    As exportações do agronegócio de São Paulo registraram um superávit de US$ 0,95 bilhão em janeiro de 2022, aumento de 20,3% em relação a janeiro do ano passado. O setor apresentou aumento de 12,8% nas exportações, alcançado US$ 1,32 bilhão, e queda de -2,6% nas importações, totalizando US$ 0,37 bilhão. Com isso, as exportações do agronegócio paulista no total das vendas externas do estado foram de 35,6%, enquanto a participação das importações setoriais foi de 7,0%. Os dados da Balança Comercial do Agronegócio Paulista foram levantados e analisados pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio do seu Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA).

    Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio paulista, em janeiro de 2022, foram: complexo sucroalcooleiro (US$335,01 milhões, sendo que desse total o açúcar representou 88,9% e o etanol 11,1%), setor de carnes (US$210,17 milhões, em que a carne bovina respondeu por 85,6%), seguido do grupo dos produtos florestais (US$ 203,14 milhões, com participações de 52,1% de celulose e 38,0% de papel), dos sucos (US$151,30 milhões, dos quais 98,2% referentes a sucos de laranja) e o grupo do café (US$ 81,64 milhões, dos quais 71,4% referentes ao café verde). Os cinco agregados representaram 74,5% das vendas externas setoriais paulistas.

    De acordo com os pesquisadores do IEA, no mês de janeiro de 2022 em comparação com janeiro de 2021, houve importantes variações nos valores exportados dos principais grupos de produtos do agronegócio paulista, com aumentos para os grupos produtos florestais (+66,7%), carnes (+47,2%), café (+38,0%), sucos (+6,2%) e do complexo soja (4.155,7%) e queda do complexo sucroalcooleiro (-31,8%). Essas variações nas receitas do comércio exterior são derivadas da composição das oscilações tanto de preços como de volumes exportados.

    Desses grupos relevantes do agronegócio, o sucroalcooleiro é o que apresenta a maior participação (25,4%) nas exportações paulistas. No total, o grupo caiu 31,8% em valores e 45,0% em volumes exportados, devido à queda do desempenho das vendas externas do açúcar (-27,7% em valores e -42,8% em volume). Para o álcool, os embarques apresentaram quedas ainda mais acentuadas de 52,8% em volume e de 67,0% em valores, quando comparados com o mesmo período de 2021. Os principais compradores desse grupo foram Argélia (16,2%), Marrocos (11,0%), Rússia (9,2%), Coreia do Sul (7,5%), União Europeia (6,8%), China e Nigéria (6,5% cada).

    O grupo de carnes tem a segunda posição na pauta do estado, apresentando ganhos em valores (47,2%) e volume (27,7%) em relação a janeiro de 2021. A carne bovina, com maior contribuição no grupo, registrou aumentos de 42,8% em valores e de 15,2% em volume exportado. Os principais destinos em participação foram: China (49,9%), Estados Unidos (11,3%), União Europeia (8,3%), Hong Kong (4,1%), Filipinas (3,7%), Egito (2,1%) e Chile (1,9%), enquanto os demais países compradores somam 18,6% de participação.

    Os produtos florestais aparecem na terceira posição da pauta paulista de vendas do agronegócio, com ganhos em desempenho em janeiro de 2022, com aumentos de 66,7% em valores e de 63,1% na quantidade em relação a janeiro do ano anterior. O produto papel, principal item do grupo, obteve variação positiva quanto aos valores (23,2%) e negativa em relação ao volume (-2,0%). As exportações dos produtos de celulose apresentaram elevação nos valores (151,8%) e nos embarques (120,5%). O principal destino em participação de valores exportados é a China (40,5%), seguida pela União Europeia (9,8%), Estados Unidos (7,9%), Argentina (7,4%), Peru (6,2%) e Chile (6,1%).

    O suco de laranja (FCOJ concentrado) exibiu aumentos de 10,5% no valor e de 0,1% em volume exportado. Para o suco NFC (não congelado), as vendas externas cresceram em valores (9,6%) e em volume (2,9%). Já os outros sucos de laranja não fermentados obtiveram quedas de 1,2% em valores e de 10,3% em volumes. A variação total das exportações do grupo de sucos foi positiva de 6,2% em valores e 0,1% em volume na comparação com o mês de janeiro de 2021. Os maiores compradores desse grupo são União Europeia (59,7%), Estados Unidos (14,6%), Japão (10,5%) e China (6,5%).

    Para o grupo do café, os resultados apontaram aumento de 38% nos valores e queda de 17,2% no volume das exportações paulista. O principal produto deste grupo é o café verde, que apresentou aumento de 29,6% em valores e diminuição de 23,8% em quantidades exportadas pelo estado e o café solúvel exibiu crescimentos de 46,9% em valores e 17,7% em volume comercializado. A União Europeia é o principal destino e suas compras representam 36,9% do valor exportado. Na sequência aparecem Estados Unidos (24,3%), Japão (8,8%) e Argentina (4,4%).

    O grupo composto pelo complexo soja apresentou no mês de janeiro de 2022 desempenho positivo com aumento nos embarques (3.460,7%) e em valores (4.154,7%). A soja em grão apresentou variações expressivas de valores e volumes (60.521,0% e 43.830,1%, respectivamente), quando comparados com o mesmo mês em 2021. Esse resultado altamente positivo é resultado da recuperação da produção na safra atual, já que a safra anterior foi prejudicada pela indisponibilidade do produto ocasionada pelo atraso do plantio por conta da falta de chuvas nos meses de setembro e outubro de 2020. A China (81,0%) foi o principal destino em termos de participação de valores, seguida da Índia (11,0%) e Tailândia (3,5%).

    Os principais produtos da pauta de importação do agronegócio paulista em janeiro de 2022 foram salmões (US$29,62 milhões), seguido do papel (US$27,49 milhões) e de trigo (US$24,08 milhões).

     

    Fonte: Canal Rural

    Curadoria: Boi a Pasto



  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites