• Máquinas e Equipamentos
  • Tratador móvel elimina a perda de suplementos para pecuária

    10/01/2018
    Lançado no final do ano passado, o equipamento proporciona economia, ao praticamente eliminar a perda de alimento, otimização de mão de obra e frete, além de acelerar o ganho de peso dos rebanhos.

    A ideia parece simples, mas seus resultados são surpreendentes. A startup brasileira Tryber Tecnologia desenvolveu um tratador de animais, o chamado cocho, móvel e com capacidade própria de armazenamento de ração ou grãos.

    A inovação, patenteada pela Tryber Tecnologia, possui dois modelos, um de 10 m³ e outro de 5 m³ de capacidade do reservatório. O maior comporta 6 toneladas de ração ou 8 toneladas de grãos-inteiros, que, em um compartimento fechado, ficam protegidas do ambiente externo e sem contato com as seções onde os animais se alimentam. O abastecimento é automático, por gravidade, nos 20 metros lineares de cocho (modelo de 10 m³). O alimento é disponibilizado aos animais conforme a demanda, evitando assim que deteriore por contato com saliva. Também é protegido da chuva ou sol pela sua cobertura superior. Dessa forma, o abastecimento do tratador pode ser realizado uma única vez em períodos que chegam a três semanas, enquanto que, em cochos fixos, deve ocorrer três vezes ao dia.

    Por ser móvel e ter capacidade de armazenamento, o tratador da Tryber Tecnologia pode ser deslocado até o campo e lá, abastecido por caminhão, bigbag ou carreta graneleira. “O equipamento é capaz de armazenar 8 toneladas, mais da metade do que um caminhão ‘truck’ carregado de milho transporta”, diz Daniel Zacher, sócio fundador da Tryber Tecnologia. A mobilidade também atende às necessidades da Integração Lavoura, Pecuária e Floresta, sistema de manejo que vem representando uma revolução no campo. “Como o tratador pode ser deslocado, permite que a terra tenha diferentes usos ao longo do ano”.

    O fazendeiro Rubem Kudies, no município de Chiapeta (RS), destaca também como fator favorável à integração Lavoura Pecuária o fato de a mobilidade do sistema permitir que os animais se aglomerem em pontos diferentes do terreno por períodos determinados, o que evita a compactação do solo e surgimento de lamaçais. “Em qualquer estrutura de confinamento ou de suplementação que utilize cochos fixos, a chuva resulta em problemas de barro, o que força a mudança de local a cada 15 dias”, diz. “A mobilidade do tratador Tryber facilita muito, além favorecer o manejo do próprio esterco, possibilitando que diferentes pontos do terreno sejam fertilizados periodicamente.”

    O pecuarista diz que a solução da Tryber praticamente eliminou a perda de suplementos. “Quando se aproveita os dois lados do cocho comum, sempre há a possibilidade de o animal pisar nele ou salivar o que, como a chuva, resulta na perda do alimento”, diz. “No caso do tratador da Tryber, como há um fluxo contínuo e a extensão do cocho para cada animal é reduzida, as chances de se perder produto ficam muito reduzidas. Já aconteceu de chover forte e apenas parte da ração de um dos lados do cocho ficar úmida. Mas, como os animais voltam para se alimentar antes que o processo de deterioração tenha início, não houve perda”, afirma.

    Kudies também destaca a redução da necessidade de mão de obra com o tratador da Tryber. “Ao invés de estar de duas a três vezes por dia alimentando os animais com meio metro de cocho para cada um deles, adotamos a solução de um tratador de alto consumo, que pode ser manejado e abastecido uma única vez por semana”, diz. “Os cochos são abastecidos automaticamente com milho, grão inteiro e aveia para fazer a complementação, principalmente de animais que saíram da pastagem de inverno e não ficaram prontos”, afirma. Segundo o pecuarista, como o alimento permanece sempre à disposição do rebanho, é possível administrar, pelo menos,150 animais em 20 metros de borda de cocho. “Ou seja, uma estrutura pequena que, pela eficiência, faz com que os animais não precisem se alimentar todos ao mesmo tempo. Essa flexibilidade permite que cada um se desenvolva em seu ritmo próprio”, diz.

    Segundo Zacher, a mobilidade do tratador resultou em outro benefício aos seus proprietários. “Pode-se levar a suplementação de ração ou proteinados até o gado na pastagem, que, assim, acaba se alimentando com uma melhor nutrição, o que resulta em ganho de peso, maior ritmo de crescimento e melhor taxa de lotação (UA/ha)”, afirma.

    Fonte: Tryber Tecnologia / Compliance



  • Temple Grandin: Práticas de bem-estar animal traz vantagens para o gado e para o pecuarista

  • Pesquisadora norte-americana Temple Grandin está no Brasil e fala sobre a preocupação com o bem estar animal e sua importância para obter-se mais produtividade na fazenda. Ela é uma das maiores autori

    + leia mais
  • Planejamento estratégico é requisito para pasto produtivo

  • Pasto produtivo, no novo conceito de mercado, é fundamental para que o produtor sobreviva e tenha rentabilidade.

    + leia mais
  • Agro tem papel de destaque na preservação ambiental

  • Cálculos do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa, a partir das análises de dados geocodificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR), mostram significativa participação da agri

    + leia mais
  • Por uma nova pecuária brasileira

  • O livro Carne e Osso lançado em 2015 pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne traz um relato inédito sobre as origens e a evolução da indústria da carne brasileira, a reboque da

    + leia mais


  • Escreva um comentário



  • *

    *
    *





  • Comentários (0)



  • Criação de sites