• Sanidade
  • Tristeza Parasitária Bovina pode ser prevenida

    17/09/2014
    A Tristeza Parasitária Bovina (TPB) é uma doença infecciosa e parasitária dos bovinos causada por uma riquétsia do gênero Anaplasma (Anaplasmose) e um protozoário do gêneroBabesia (Babesiose), transmitida aos animais pelo carrapato dos bovinos (Rhipicephalus (Boophilus) microplus) e mosca hematófaga.

    A doença está distribuída por todo o Brasil, sendo a sua maior ocorrência na região Centro-sul e com maior frequência no Estado do Rio Grande do Sul. Na TPB ocorre rompimento das hemácias dos animais, fazendo com que entrem em anemia. Os sintomas são: febre, icterícia ou mucosas pálidas e prostração, daí o nome popular de “tristeza”. 

    “A doença é mais encontrada nos rebanhos com sangue de raças europeias de corte e leite onde o carrapato aparece em infestações irregulares, variando de baixa a alta, causando grandes perdas econômicas pela influência que exerce no crescimento e desenvolvimento desses animais, pelas altas perdas de produção de carne e leite e pelos distúrbios reprodutivos, com interferência direta na produtividade do rebanho e consequentemente a perdas econômicas (podendo, sem tratamento adequado, levar o animal a morte). Por este motivo é importante realizar a quimioprofilaxia”, explica Emerson Botelho, Gerente de Produto MSD Saúde Animal.

    Em pecuária leiteira, a tristeza parasitária bovina é um problema constante em bezerras (terneiras) devido ao manejo. "Em rebanhos leiteiros de alta produção as bezerras são separadas das vacas logo após o nascimento e criadas de forma separada em “casinhas”.. Com isto, as bezerras não tem contato com o carrapato e ao serem conduzidas aos piquetes na segunda fase de criação com contato com carrapato elas são acometidas pela TPB.", diz Botelho.

    Existem também os casos de vacas em lactação criadas em free stal e quando secadas são colocadas em piquetes, onde podem ter contato com carrapato e contágio pela TPB.

    Em rebanhos de corte é crescente os casos de TPB nos confinamentos e áreas de integração lavoura pecuária. No caso de confinamento temos o transporte animal, organização em novos lotes e vários outros fatores que reduzem a imunidade do animal pelo stress e permite o retorno da TPB, principalmente casos de anaplasmose transmitida por moscas.

    Para prevenir e combater esta doença a MSD Saúde Animal possui um protocolo de sanidade completo com o uso estratégico do Imizol®. Para mais informações consulte a bula do medicamento, os colaboradores da MSD ou contate um médico veterinário.

    Fonte: MSD

     


  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites