• Notícias
  • Valorização da aroba puxou aumento das vendas de produtos de sanidade em 2020

    31/03/2021
    Em vídeo exclusivo enviado ao Giro do Boi desta segunda, dia 29, o vice-presidente executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Emílio Salani, comentou a alta consolidada de cerca de 12% nas vendas do setor nos três primeiros trimestres de 2020 na comparação com 2019.
    Foto: Divulgação.
     
    Em vídeo exclusivo enviado ao Giro do Boi desta segunda, dia 29, o vice-presidente executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Emílio Salani, comentou a alta consolidada de cerca de 12% nas vendas do setor nos três primeiros trimestres de 2020 na comparação com 2019.
     
    “Considerando a alta expressiva que houve no valor da proteína vermelha, da carne bovina no ano de 2020 e mantido no ano de 2021, a leitura que nós fazemos é que houve um maior interesse na busca de produtos e de ferramentas destinadas à manutenção e realização da sanidade animal, que no final resulta em produtividade. Por esse motivo, considerando esse novo patamar de preços obtidos pela carne, nós entendemos que também houve o aumento da demanda de produtos para saúde animal destinados à sanidade dos bovinos”, avaliou.
     
    Conforme projetou Salani, o crescimento do setor considerando também o último trimestre de 2020 pode chegar à casa dos 14%. “Mesmo em época de pandemia, o setor não foi tão afetado devido ao fato de a atividade de saúde animal ter sido considerada essencial. Então no ano de 2020 e mantendo em 2021, nós estamos disponibilizando ao mercado de maneira normal os volumes necessários de produtos destinados à sanidade dos animais. Por esse motivo também a gente tem observado, e ainda não fechamos os dados, que na passagem de 2020 para 2021, nós teremos um aumento significativo ao redor de 12 a 14% na comercialização, no volume de comercialização desses produtos destinados à sanidade animal”, concluiu.
     
     
    Fonte: Giro do Boi com curadoria Boi a Pasto.
  • Pegada hídrica entre bovinos pode variar até sete mil litros por quilo de carcaça

  • É a primeira vez que é calculada no Brasil a pegada da carne bovina com dados gerados no próprio sistema de produção

    + leia mais
  • Artigo - Ataques de percevejo castanho em pastagem exigem atenção do produtor

  • Fabrícia Zimermann Vilela Torres, engenheira-agrônoma e pesquisadora em entomologia de forrageiras tropicais.

    + leia mais


  • Criação de sites