• Genética
  • Você sabe a diferença entre fertilizantes e agrotóxicos?

    11/05/2022
    Fertilizantes funcionam como um tipo de adubo, preparando o solo para o plantio. Agrotóxicos protegem os cultivos de pragas, animais e fungos.

    Agrotóxicos e fertilizantes são insumos muito usados pelos agricultores no Brasil. Cada um tem sua função na lavoura para aumentar a produtividade dos cultivos.

    Veja a seguir qual o objetivo no uso de cada produto:

    Fertilizantes

    Os fertilizantes químicos funcionam como um tipo de adubo, usados para preparar e estimular a terra para o plantio.

    Os solos brasileiros são, em grande parte, pobres em nutrição e o agricultor precisa corrigir essa deficiência para ter produtividade, explica Fábio Mizumoto, coordenador do MBA de agronegócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    Existem três categorias deste insumo que se destacam na agricultura:

    nitrogenados;
    potássicos;
    fosfatados.
    Cada cultura necessita de um fertilizante diferente para se desenvolver, dependendo de quais nutrientes precisa. A soja, por exemplo, exige muito fósforo e potássio, já o milho requer os nitrogenados.

    Agrotóxicos

    Os agrotóxicos, por sua vez, protegem os cultivos de pragas, animais e fungos. Eles são usados na produção agrícola, na manutenção de pastagens e na proteção de florestas plantadas. Pela legislação brasileira, produtos biológicos e orgânicos com o mesmo fim também são considerados agrotóxicos.

    Também conhecidos como pesticidas e defensivos, eles são divididos em três categorias, cada um com seu alvo em específico:

    Herbicida: age contra ervas daninhas;
    Fungicida: contra fungos que causam doenças;
    Inseticida: contra insetos.
    Essas substâncias mudam a composição da flora e da fauna, para acabar com as ervas que "competem" com a plantação principal, além de fungos e insetos que podem danificar essa lavoura.

     

    Fonte: G1

    Curadoria: Boi a Pasto



  • MANEJO EFICIENTE DA PASTAGEM AJUDA NA PRODUÇÃO DE CARNE DE QUALIDADE

  • Para acessar mercado premium e que melhor remunera com a criação a pasto, é preciso planejamento, animais de boa genética e principalmente escolher cultivares com alto valor nutritivo para alimentação

    + leia mais
  • Pantanal tem 14 cidades em emergência, mais incêndios e mortes de animais no MS

  • Região vive período de forte estiagem, o que motivou o decreto de emergência por parte do governo local

    + leia mais
  • Pasto rotacionado: sobrou capim? Saiba por que isso é um ótimo sinal

  • Confira as novas dicas do doutor em zootecnia Gustavo Rezende Siqueira, pesquisador do Polo Regional de Alta Mogiana da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)

    + leia mais


  • Criação de sites