julho 23, 2024

O desafio de conciliar o agronegócio com a preservação ambiental

√öltimos dados de fiscaliza√ß√£o mostram aumento gradativo do desmatamento e incentivo do ex-presidente a pr√°ticas ilegais O agroneg√≥cio, um dos gigantes da economia brasileira, respons√°vel por mais da metade dos produtos de exporta√ß√£o, √© tamb√©m o maior vil√£o da floresta amaz√īnica. De acordo com o Coordenador da FrenteAmbientalista e professor de Direito da Puc-Rio, Alessandro Molon (PSB), no governo de Jair Bolsonaro, os √≥rg√£os de fiscaliza√ß√£o ambiental foram enfraquecidos. Al√©m disso, para Molon, o futuro ex-presidentecompactua com pr√°ticas criminosas. ‚ÄúTodos os sinais que o Bolsonaro deu foram no sentido oposto. Elepraticamente incentivou o garimpo ilegal.‚ÄĚ O RAD (Relat√≥rio Anual do Desmatamento) do Mapbiomas comprovou que a Amaz√īnia perdeu 59% de sua vegeta√ß√£o nativa. √Č esperado que o futuro presidente, Luiz In√°cio Lula da Silva, diminua os √≠ndices de desmatamento, que se encontram em 10 700 quil√īmetros quadrados, como foi feito no seu antigo governo doano de 2003 at√© 2011. Do sudeste do Maranh√£o ao sudeste do Acre, no norte do Tocantins, sul do Par√°, norte deMato Grosso, Rond√īnia e sul do Amazonas, √°reas que juntas s√£o chamadas de Arco do Desmatamento. Os dois lados das elei√ß√ĶesAs elei√ß√Ķes de 2022 fi caram marcadas pordois extremos, partidos relacionados √† causa do agroneg√≥cio eoutros que s√£o a favor da preserva√ß√£o da fl oresta Amaz√īnica. Alessandro Molon, Presidente Regional do PSB,afi rmou que √© necess√°rio fortalecer os √≥rg√£os de fi scaliza√ß√£o na Amaz√īnia e focar em alternativas que tornamlucrativo manter a fl oresta de p√©. Para que isso seja necess√°rio, oIBAMAprecisa se reerguer para chefi ar ocombate ao desmatamento ilegal da Amaz√īnia. Al√©m disso, ele citou que um novo projeto de lei de grilagemque legaliza quem roubou terras da Amaz√īnia passou na C√Ęmara dos Deputados.‚ÄúNo governo Bolsonaro eles criaram as GLOS, a√ß√Ķes de garantia da lei da ordem com o comando das for√ßasarmadas. E as for√ßas n√£o t√™m no hall e expertise para liderar essas a√ß√Ķes de combate ao desmatamento, masn√£o devem ser elas a liderar a a√ß√£o e sim apoiar a a√ß√£o‚ÄĚ, afi rmou Alessandro Molon.

Em meio a incertezas, mercado lácteo espera recuperação em 2023

Apesar da expectativa de retomada de crescimento, especialistas ressaltam que o ano de 2023 ser√° ainda de muita incerteza, especialmente em rela√ß√£o √† √°rea fiscal. ‚ÄúAp√≥s quatro anos de altas consecutivas na produ√ß√£o leiteira, o setor apresentou dois anos de quedas significativas e estima-se que o Brasil encerre o ano com queda de 4,4% na produ√ß√£o formal‚ÄĚ, relata a pesquisadora da Embrapa Gado de Leite Kennya Siqueira. ‚ÄúA cadeia produtiva do leite sofreu s√©rios impactos pelos acontecimentos globais em 2022, intensificando as dificuldades j√° apresentadas em 2021‚ÄĚ, completa. Se, por um lado, a vacina√ß√£o contra a Covid-19 acenava para a volta da normalidade e a retomada da economia; por outro, logo no primeiro trimestre de 2022, o conflito entre R√ļssia e Ucr√Ęnia valorizou as commodities agr√≠colas e o petr√≥leo. Grandes produtores de gr√£os, fertilizantes e petr√≥leo, os pa√≠ses em conflito impediram que a economia global se recuperasse dos anos de pandemia e criaram as condi√ß√Ķes para aumentos recordes dos custos de produ√ß√£o de leite no Brasil, al√©m do aumento da infla√ß√£o e da queda da renda do brasileiro, segundo detalha a cientista. Especialistas do Centro de Intelig√™ncia do Leite da Embrapa (Cileite) fizeram um balan√ßo do per√≠odo recente e tra√ßam perspectivas para setor em 2023. O ano de 2021 j√° terminara com dificuldades para o setor, com queda no volume de produ√ß√£o do leite inspecionado (gr√°fico abaixo), elevando a importa√ß√£o de l√°cteos em 21,5% no ano posterior. Nos dois √ļltimos anos, o √ćndice do Custo de Produ√ß√£o do Leite (ICPLeite) divulgado pela Embrapa registrou crescimento de 62%. A partir do segundo semestre, esse √≠ndice iniciou uma lenta retra√ß√£o e, em novembro, o ICPLeite apresentou queda de 1,7%, influenciado principalmente pela retra√ß√£o de 4,5% do custo do alimento concentrado para as vacas. Ainda assim, o cen√°rio foi de piora na rentabilidade do produtor ao longo do segundo semestre de 2022, pois o pre√ßo recebido por eles caiu de um pico de R$ 3,53 por litro de leite, em agosto, para cerca de R$ 2,50, em dezembro. O impacto tamb√©m foi sentido pelo consumidor; segundo estimativa da Embrapa, o consumo anual de leite por habitante foi reduzido de 170,3 litros para 163 litros. Em meados do ano, os l√°cteos atingiram pre√ßos recordes. O bolsista de economia Ygor Guimar√£es, que atua no N√ļcleo de Desenvolvimento Econ√īmico da Cadeia Produtiva do Leite da Embrapa, lembra que, em agosto, a infla√ß√£o do ‚Äúleite e derivados‚ÄĚ chegou a 40,2%, sendo um dos itens que mais influenciou a eleva√ß√£o do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA). ‚ÄúO alto custo para alimentar as vacas e a queda na produ√ß√£o durante a entressafra do leite penalizou o consumidor‚ÄĚ, aponta o pesquisador do N√ļcleo¬†Samuel Oliveira. ‚ÄúPodemos afirmar que o Brasil passou por uma crise de oferta de leite‚ÄĚ, completa Oliveira. Isso fez com que os compostos l√°cteos ganhassem espa√ßo como alternativas mais acess√≠veis para suprir parte da demanda, n√£o sem despertar pol√™mica (leia quadro no fim da mat√©ria). No entanto, o quarto trimestre do ano representou algum al√≠vio para os consumidores. Na primeira quinzena de dezembro, o litro do leite UHT no atacado estava cotado a R$ 3,82 (queda de 40,5% desde o final de julho). J√° o quilo da mu√ßarela era vendido pela ind√ļstria a R$ 28,27 (queda de 34,8%). O leite spot (leite comercializado entre latic√≠nios) teve a maior defla√ß√£o; o litro do produto foi cotado em Minas Gerais a R$ 2,34, o que representa um recuo de 43% em rela√ß√£o a julho. Estimativas hist√≥ricas sugerem que as festas de fim de ano s√£o positivas para a ind√ļstria, que intensificam suas vendas. Estima-se crescimento pr√≥ximo de 30% em rela√ß√£o √† m√©dia de venda do ano, principalmente para leite condensado e creme de leite. Perspectivas para o setor Para o pesquisador da Embrapa Glauco Carvalho, embora o ano que come√ßa ainda traga muitos componentes de incertezas internas e externas, o mercado brasileiro est√° se reequilibrando em termos de oferta e demanda. Segundo ele, com a recupera√ß√£o do mercado de trabalho e melhorias do emprego e renda, espera-se alguma melhoria no consumo de leite e derivados. Outro fator positivo √© a produ√ß√£o brasileira elevada de gr√£os na safra 2022/2023, contribuindo para uma menor press√£o nos custos de alimenta√ß√£o das vacas, sobretudo concentrados √† base de milho e soja. ‚ÄúMas √© um ano de muita incerteza ainda, em fun√ß√£o da mudan√ßa de governo e das diretrizes que ser√£o adotadas, principalmente na √°rea fiscal, que tem impacto direto sobre taxa de juros e c√Ęmbio‚ÄĚ, diz Carvalho. No √Ęmbito externo, o analista¬†Lorildo Stock¬†espera que os pre√ßos dos fertilizantes recuem com uma solu√ß√£o para a guerra R√ļssia-Ucr√Ęnia. Por√©m, o cen√°rio de infla√ß√£o e o baixo crescimento previsto para as grandes economias (Estados Unidos, Uni√£o Europeia e China) podem refletir negativamente na retomada da economia brasileira. ‚ÄúA desacelera√ß√£o da economia mundial poder√° gerar algum impacto negativo, ainda que modesto, no segmento l√°cteo‚ÄĚ, avalia Stock. Carvalho complementa, dizendo que a forte valoriza√ß√£o das commodities agr√≠colas e n√£o agr√≠colas, nos √ļltimos dois anos, ajudou na recupera√ß√£o do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Esse n√£o √© o cen√°rio para 2023. Fonte: Embrapa Curadoria: Boi a Pasto

Como tornar o agronegócio mais sustentável?

Mercado agro busca formas de se reinventar para diminuir o impacto ambiental Nunca se falou tanto em sustentabilidade como nos √ļltimos anos. O mundo est√° em uma corrida contra o tempo para minimizar os impactos ambientais causados por ind√ļstrias, antes que se tornem irrevers√≠veis. Entre um dos setores mais poluentes, o agroneg√≥cio, que √© respons√°vel por quase 1/5 de toda a emiss√£o de g√°s carb√īnico no planeta segundo a publica√ß√£o ‚ÄėOur World in Data‚Äô, enfrenta o desafio de se reinventar nesse cen√°rio. Em compara√ß√£o com resto do mundo, o Brasil lidera a redu√ß√£o do impacto ambiental no agroneg√≥cio — segundo o Instituto de Pesquisa Econ√īmica Aplicada (IPEA), o pa√≠s foi capaz de elevar o volume de sua produ√ß√£o, al√©m de reduzir o impacto ambiental da atividade, se destacando entre pa√≠ses como Argentina, Alemanha, Canad√°, China, Estados Unidos, Fran√ßa e √ćndia. Apesar de serem dados animadores, ainda h√° um longo caminho a se trilhar rumo a sustentabilidade. Diante destes desafios, as ind√ļstrias possuem duas op√ß√Ķes: reduzir as emiss√Ķes de CO¬≤, reestruturando sua cadeia produtiva em busca de maior efici√™ncia energ√©tica e convers√£o alimentar, ou, como op√ß√£o, tamb√©m √© poss√≠vel compensar suas emiss√Ķes, o que pode ser feito atrav√©s do plantio de √°rvores ou da compra de cr√©ditos de carbono. Para aqueles que buscam otimizar sua produ√ß√£o, com o objetivo de reduzir o impacto ambiental causado por ela, √© importante se atentar aos insumos, res√≠duos e a efici√™ncia da estrutura. Para otimizar de forma sustent√°vel os insumos e res√≠duos da produ√ß√£o de carnes, √© recomendado o uso de uma energia limpa, como a solar, atrav√©s da instala√ß√£o de pain√©is de capta√ß√£o de luz. Al√©m disso, a √°gua usada nas cria√ß√Ķes dos animais pode ser de reuso, usando a capta√ß√£o da √°gua da chuva, e deve-se optar por um bio compostor para despejo de res√≠duos. Quando a efici√™ncia da estrutura, um dos pontos essenciais √© o investimento em isolamento t√©rmico. Economia de energia, ganho de produtividade, melhora na ambi√™ncia, e o bem-estar animal s√£o as principais vantagens de instalar esse tipo de sistema. ‚ÄúLevando em considera√ß√£o que 80% do calor de interno vem do telhado, a melhor, mais sustent√°vel e econ√īmica op√ß√£o para manter a temperatura de um avi√°rio agrad√°vel √© investir em solu√ß√Ķes para coberturas. Para isso, subcoberturas que utilizam do s√£o t√£o recomendadas‚ÄĚ, explica Emerson Salum, Gerente Comercial da Saint-Gobain Produtos para Constru√ß√£o. ‚Äú√Č tamb√©m importante garantir que as telhas utilizadas contribuam para a efici√™ncia t√©rmica do espa√ßo, as telhas Topcomfort s√£o indicadas j√° que sua tecnologia consegue ajudar a diminuir a incid√™ncia de calor no ambiente‚ÄĚ. O Midfelt Agro da Isover proporciona ao sistema um bloqueio t√©rmico e ac√ļstico, o que diminui a incid√™ncia de calor transmitido pela cobertura ao ambiente, aumentando a produtividade dos avi√°rios. O produto √© sustent√°vel, j√° que √© produzido a partir de vidro reciclado, seguro, por ser incombust√≠vel e n√£o gotejar em caso de inc√™ndio, al√©m de ser antif√ļngico e antibacteriano, evitando a propaga√ß√£o de fungos, bact√©rias e roedores. Fonte: Agrolink Curadoria: Boi a Pasto

O a√ßa√≠ da Mata Atl√Ęntica: pesquisadores desenvolvem produtos com os frutos da palmeira ju√ßara

Smoothie de ju√ßara, morango e banana √© um dos produtos desenvolvidos a fim de agregar valor ao fruto da Mata Atl√Ęntica Fruto nativo da Mata Atl√Ęntica, a ju√ßara (Euterpe edulis) √© saud√°vel e √≥timo ingrediente para diferentes produtos aliment√≠cios. Foi o que demonstrou uma pesquisa realizada pela¬†Embrapa Agroind√ļstria de Alimentos¬†(RJ) que transformou a fruta em bebida tipo¬†smoothie, corante e outros tipos de apresenta√ß√£o de polpa. A pesquisa procura agregar valor √† mat√©ria-prima e ajudar a proteger a esp√©cie que chegou a ser inclu√≠da em lista de risco de extin√ß√£o devido √† extra√ß√£o ilegal de seu palmito. Similar ao seu parente amaz√īnico, o a√ßa√≠ (Euterpe oleracea), o fruto da Mata Atl√Ęntica apresentou propriedades antioxidantes valiosas. A pesquisadora da Embrapa¬†Fl√°via Gomes¬†informa que os frutos da ju√ßara s√£o fonte de compostos bioativos, em especial, √°cidos fen√≥licos e antocianinas. Evid√™ncias cient√≠ficas t√™m apontado que essas subst√Ęncias t√™m a√ß√£o antioxidante que protege as c√©lulas contra radicais livres. Por isso, seu consumo poder√° promover a redu√ß√£o do risco de diversas doen√ßas degenerativas como c√Ęncer, aterosclerose, entre outras. ‚ÄúVale destacar que a poss√≠vel efic√°cia dos compostos bioativos no organismo humano √© determinada pela biodisponibilidade dessas mol√©culas, que √© definida como a quantidade de composto absorvido e metabolizado ap√≥s a digest√£o. A biodisponibilidade tem como fator limitante a bioacessibilidade, a qual est√° relacionada √† quantidade desses compostos que √© liberada do alimento durante a digest√£o, ou seja, √© uma fra√ß√£o de um composto potencialmente dispon√≠vel para absor√ß√£o‚ÄĚ, detalha a cientista. Em testes realizados, os produtos avaliados apresentaram bioacessibilidade dos compostos fen√≥licos entre 5% e 25%, ou seja, nessa faixa, a quantidade de compostos fen√≥licos ingerida estaria dispon√≠vel para absor√ß√£o ap√≥s a digest√£o. Os pesquisadores esperam que a agrega√ß√£o de valor aos frutos v√° contribuir para a preserva√ß√£o da esp√©cie. A explora√ß√£o racional da fruta contribui para manter a floresta protegida e o fornecimento de um produto de alto valor agregado com importantes caracter√≠sticas nutricionais, funcionais e at√© de desenvolvimento econ√īmico. Polpa em p√≥A polpa da ju√ßara em p√≥ apresenta como diferencial n√£o conter agentes encapsulantes na formula√ß√£o, o que permite a disponibiliza√ß√£o de um produto com intensidade de cor e elevada capacidade antioxidante.Foto: Kadijah Suleman Secagem da polpa para aumentar vida √ļtil Segundo a pesquisadora Renata Tonon, devido √† alta perecibilidade, a ju√ßara apresenta vida √ļtil muito curta. Assim, a secagem da polpa da fruta √© uma forma de conserva√ß√£o do produto. ‚ÄúAs polpas de frutas em p√≥ apresentam baixa atividade de √°gua o que dificulta, ou at√© impede, a multiplica√ß√£o de microrganismos respons√°veis por sua deteriora√ß√£o, aumentando consideravelmente a sua vida √ļtil‚ÄĚ, explica. A produ√ß√£o da polpa da ju√ßara em p√≥ tamb√©m propicia maior facilidade no transporte, armazenamento e manuseio, o que favorece a comercializa√ß√£o, especialmente a exporta√ß√£o. ‚ÄúAl√©m da possibilidade de reconstitui√ß√£o para consumo direto, a polpa em p√≥ tamb√©m pode ser utilizada como ingrediente em diversos produtos aliment√≠cios. Por ser altamente concentrada em antocianinas, pigmento respons√°vel por sua colora√ß√£o roxa, pode, ainda, ser aplicada como corante natural, em substitui√ß√£o aos sint√©ticos‚ÄĚ, destaca Tonon. A polpa em p√≥ de ju√ßara demonstrou, ainda, possuir propriedades prebi√≥ticas (ver quadro no fim da mat√©ria). A equipe da Embrapa investigou o potencial da polpa em influenciar o crescimento de grupos bacterianos espec√≠ficos, em um sistema de fermenta√ß√£o controlado, simulando as condi√ß√Ķes do intestino grosso humano. A polpa em p√≥ aumentou a contagem de¬†Bifidobacterium¬†(microrganismo ben√©fico) e reduziu a popula√ß√£o de¬†Escherichia coli¬†(bact√©ria patog√™nica). Aplica√ß√£o em sorvete, iogurte e bebidas de frutas Nos produtos l√°cteos, foram testadas pequenas quantidades de corante de polpa da ju√ßara, que variaram de 0,05% a 0,2%. Os resultados mostraram poder corante elevado da polpa desidratada, sendo que pequenas quantidades foram suficientes para refor√ßar a cor vermelha/rosada caracter√≠stica de sorvete e de iogurte de frutas vermelhas (mistura de morango e amora). ‚ÄúA pequena quantidade de polpa desidratada utilizada como corante nos produtos desenvolvidos n√£o modificou as caracter√≠sticas nutritivas. Por√©m, foi capaz de conferir uma colora√ß√£o atrativa e est√°vel ao longo da vida √ļtil dos produtos, de um m√™s no caso do iogurte e tr√™s meses para o sorvete‚ÄĚ, informa a pesquisadora Ana Carolina Chaves. Adicionalmente, a polpa de ju√ßara in natura foi estudada para o desenvolvimento de bebidas √† base de frutas, buscando encontrar formula√ß√Ķes otimizadas com base em valor nutritivo e aceita√ß√£o sensorial. Aceita√ß√£o dos produtos Testes sensoriais foram realizados visando avaliar o efeito da aplica√ß√£o da polpa de ju√ßara em p√≥, em diferentes concentra√ß√Ķes, nas formula√ß√Ķes de suco misto de ma√ß√£, iogurte e sorvete, al√©m de avaliar o desempenho de diferentes propor√ß√Ķes das frutas morango, banana e ju√ßara na formula√ß√£o de um smoothie. Nessa avalia√ß√£o com consumidores potenciais de cada produto, verificou-se a aceita√ß√£o de apar√™ncia, sabor e consist√™ncia, permitindo a identifica√ß√£o da formula√ß√£o com melhor potencial de mercado. A pesquisadora Daniela Freitas de S√° relata que os resultados tamb√©m demonstraram que a polpa em p√≥ de ju√ßara proporcionou a cor desejada e aumentou a expectativa de aceita√ß√£o dos produtos, impactando positivamente a inten√ß√£o de compra pelos consumidores. J√° no desenvolvimento de uma bebida probi√≥tica, avaliadores selecionados compararam bebidas produzidas com diferentes microrganismos probi√≥ticos e uma bebida refer√™ncia (sem probi√≥tico) ap√≥s 90 dias de armazenamento, usando um m√©todo discriminativo. ‚ÄúOs resultados das an√°lises sensoriais indicaram que os microrganismos avaliados n√£o provocaram mudan√ßas na apar√™ncia e consist√™ncia das bebidas e que apenas um dos microrganismos estudados promoveu uma altera√ß√£o no sabor em rela√ß√£o √† bebida sem probi√≥tico‚ÄĚ, relata a pesquisadora. Inspira√ß√£o no a√ßa√≠ A aproxima√ß√£o da pesquisa da Embrapa com a ju√ßara come√ßou em 2008, por meio do propriet√°rio da empresa Ju√ßa√≠ na √©poca, George Braile. ‚ÄúLogo depois, a Embrapa abriu edital de propostas e eu submeti um projeto com o objetivo de estudar a aplica√ß√£o dos processos de separa√ß√£o com membranas na polpa de ju√ßara, aproveitando todo o conhecimento que j√° t√≠nhamos sobre o a√ßa√≠‚ÄĚ, relembra a pesquisadora¬†Lourdes Cabral. O projeto foi aprovado e, na equipe, foi inclu√≠da uma aluna de mestrado que avaliou a nanofiltra√ß√£o como ferramenta para concentrar as antocianinas presentes na polpa. ‚ÄúA grande motiva√ß√£o foi, de fato, validar a experi√™ncia que o grupo de pesquisa tinha com o a√ßa√≠ amaz√īnico

Aditivos e probióticos aumentam em até 7% a eficiência alimentar e reduzem 40% as doenças no rebanho

Confira a entrevista com o m√©dico veterin√°rio Matheus Capelari, doutor em nutri√ß√£o de ruminantes e gerente de servi√ßos t√©cnicos para gado de corte da Kemin para a Am√©rica do Sul A constata√ß√£o foi trazida pelo m√©dico veterin√°rio Matheus Capelari, doutor em nutri√ß√£o de ruminantes e gerente de servi√ßos t√©cnicos para gado de corte da Kemin para a Am√©rica do Sul. Ele foi o principal entrevistado no programa¬†Giro do Boi¬†desta quarta-feira, 11, e falou sobre os avan√ßos nas pesquisas em¬†nutri√ß√£o de ruminantes. Capelari fez parte de uma caravana de brasileiros que fez uma visita t√©cnica a confinamentos de bovinos de corte nos Estados Unidos. Avalia√ß√£o de aditivos e probi√≥ticos nos Estados Unidos Foi nessa viagem que ele trouxe os resultados de um estudo de¬†aditivos e probi√≥ticos¬†na melhora da efici√™ncia da dieta dos bovinos. ‚ÄúO bovino evoluiu para consumir pasto, no entanto, o que mais cresce √© a adi√ß√£o de gr√£os da dieta dos animais, correspondendo de 80% a 70% do que esses animais comem. √Č nesse contexto que entra o uso de aditivos e probi√≥ticos‚ÄĚ, diz Capelari. Esses compostos fortalecem os microrganismos presentes¬†por todo o intestino do bovino¬†fazendo com que o animal se adapte melhor a mudan√ßa da¬†alimenta√ß√£o com mais gr√£os. Isso faz com que o rebanho aproveite melhor a alimenta√ß√£o e¬†converta esses nutrientes em mais carne e leite, no caso de um rebanho leiteiro.¬† Sistema imunol√≥gico dos bovinos A evolu√ß√£o de ruminantes como os bovinos fez com que os o seu sistema digestivo funcionasse como o maior reposit√≥rio de seu sistema imunol√≥gico. Isso foi uma grande sa√≠da para o desempenho do animal, pois, √© pela boca que entra grande parte dos pat√≥genos que fazem mal ao bovino. ‚Äú√Č por isso que ao longo de todo o intestino dos bovinos se encontram de 70% a 80% de agentes do sistema imunol√≥gico‚ÄĚ, diz o especialista. Portanto, ao fortalecer os microorganismos intestinais se fortalece tamb√©m a sa√ļde desses animais. Cronograma sanit√°rio aliado a nutri√ß√£o bovina Em muitos confinamentos americanos, o cronograma sanit√°rio inclui a oferta de aditivos e probi√≥ticos aos animais, pois fortalece a sanidade dos animais.  ‚ÄúAlguns pesquisadores recomendam o probi√≥tico ao lado do protocolo sanit√°rio, pois isso garantiu as melhores respostas de sa√ļde dos bovinos‚ÄĚ, diz Capelari. O estudo americano constatou que al√©m do ganho de efici√™ncia alimentar de 5% a 7%, foi diminu√≠da em 40% a incid√™ncia de doen√ßas nos animais. Fonte: Giro do Boi Curadoria: Boi a Pasto