Fogo no Pantanal destr├│i o equivalente a 680 mil campos de futebol

A ├║nica ├ígua que cai do c├ęu ├ę dos avi├Áes. Por terra, brigadistas tentam apagar o fogo que avan├ža sem controle. E o que j├í est├í cr├ştico, pode piorar. O Laborat├│rio de Aplica├ž├Áes de Sat├ęlites Ambientais da┬áUFRJ┬ádivulgou uma an├ílise estimando que┬áos inc├¬ndios podem destruir, no m├şnimo, 2 milh├Áes de hectares do Pantanal – uma ├írea 13 vezes maior do que a cidade de S├úo Paulo.

ÔÇťA situa├ž├úo ├ę extremamente grave, extremamente preocupante diante do contexto clim├ítico que n├│s estamos vivenciando na regi├úo desde 2019 pelo menos, em que h├í uma seca persistente. Embora em 2023 tenha dado um certo al├şvio, a seca voltou em 2024, o que provoca um estresse na vegeta├ž├úo muito grande aliado a altas temperaturas. ├ë a combina├ž├úo perfeita para que os inc├¬ndios ocorramÔÇŁ, explica Renata Libonati, coordenadora LASA/UFRJ.

Marina lan├ža pacto contra a seca, anunciando que h├í risco de nova estiagem na Amaz├┤nia e no Pantanal

A ministra┬áMarina Silva, ao lado do presidente┬áLula, assinou uma s├ęrie decretos voltados ├á preserva├ž├úo ambiental, na manh├ú desta quarta-feira, em Bras├şlia, em celebra├ž├úo ao Dia Mundial do┬áMeio Ambiente. O pacote de medidas inclui ainda um pacto contra secas firmado com governadores diante da previs├úo de uma nova temporada de estiagem no Pantanal e na┬áAmaz├┤nia. A meta ├ę reduzir o risco de inc├¬ndios que amea├žam ambos os biomas. No ano passado os rios da Amaz├┤nia tiveram a maior seca da hist├│ria.

PRONUNCIAMENTO

Em pronunciamento nesta ter├ža-feira (4/6), v├ęspera do Dia Mundial do Meio Ambiente, a ministra Marina Silva alertou que eventos clim├íticos extremos, como as fortes chuvas no Rio Grande do Sul, ser├úo cada vez mais frequentes devido ├á emerg├¬ncia clim├ítica.┬áCombater a mudan├ža do clima exige a├ž├úo imediata, destacou Marina, que refor├žou o compromisso do governo federal com a prote├ž├úo do meio ambiente, a transforma├ž├úo ecol├│gica e o desenvolvimento sustent├ível.┬á

A tecnologia contra o desperd├şcio de alimento

Em 27 de mar├žo, o Programa das Na├ž├Áes Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) divulgou um dado alarmante:┬á mais de 1 bilh├úo de refei├ž├Áes foram desperdi├žadas por dia, em 2022, em todo o mundo. Isso ocorre enquanto 783 milh├Áes de pessoas passam fome e um ter├žo da popula├ž├úo mundial enfrenta algum tipo de inseguran├ža alimentar, de acordo com o Relat├│rio do ├Źndice de Desperd├şcio de Alimentos 2024. O impacto ambiental tamb├ęm impressiona, pois o desperd├şcio de alimentos ├ę respons├ível por emiss├Áes de gases de efeito estufa cinco vezes maiores do que as do setor de avia├ž├úo.

USP e Embrapa oficializam parceria para pesquisas em rastreabilidade

Pesquisas voltadas ├á sustentabilidade da agricultura est├úo no foco de um novo acordo assinado no ├║ltimo dia 11 entre a Embrapa e a Universidade de S├úo Paulo (USP). O protocolo de inten├ž├Áes acordado abrange o uso compartilhado do Centro de Agricultura Tropical Sustent├ível (STAC) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP.

Assinado durante o F├│rum de Agricultura Tropical Sustent├ível, realizado na capital paulista, na USP, o documento tem como objeto trabalhos de desenvolvimento de m├ętricas e selos de sustentabilidade ligados ├ás pr├íticas ESG, sigla em ingl├¬s para definir a abordagem de governan├ža ambiental, social e corporativa.

Agente laranja: pecuarista desmata o Pantanal com substância altamente tóxica

O pecuarista Claudecy Oliveira Lemes, que tem 11 fazendas no munic├şpio de Bar├úo de Melga├žo, em Mato Grosso,┬á├ę acusado de desmatar parte do Pantanal para plantar capim e fazer pasto para boi. As propriedades dele v├úo ser administradas por uma empresa escolhida pela justi├ža at├ę que terminem as investiga├ž├Áes sobre esse crime ambiental de propor├ž├Áes gigantescas.