julho 23, 2024

Com uso de IA robô de ordenha coleta e analisa dados para auxiliar na prevenção de doenças

Legenda: Sistema Horizon gera informações sobre os animais e atua no diagnóstico e tratamento precoce de enfermidades

Por meio do uso de algoritmos e análise de dados, a inteligência artificial tem desempenhado um papel significativo na modernização da pecuária de leite, oferecendo mais eficiência e produtividade e auxiliando na gestão da saúde do gado, no monitoramento da produção de leite, na previsão de padrões de comportamento dos animais, entre outros. Com este a foco, a Lely, referência mundial em soluções de automação para o segmento, traz em seu portfólio o sistema Horizon, presente no robô de ordenha Lely Astronaut, responsável por coletar, analisar e armazenar os dados por animal. A ferramenta antecipa informações de saúde, produção, reprodução, facilitando a tomada de decisão com maior precisão e oferecendo mais segurança ao produtor e, consequentemente, aos laticínios e ao consumidor final.

O Astronaut coleta diversos dados durante a ordenha de uma vaca, incluindo temperatura, cor, condutividade, fluxo do leite, ruminação, atividade e produção dos animais. Além disso, são registradas informações de saúde, como tratamentos, doenças, condição de reprodução, como verificações de prenhez, inseminações e comportamento de parto.

“Utilizando inteligência artificial do Horizon, esses dados são cruzados para prever certos padrões comportamentais e de saúde. Atualmente, o Astronaut coleta cerca de 120 dados por ordenha. Considerando que cada robô realiza, em média, 180 ordenhas por dia e que existem aproximadamente 50 mil robôs Lely no mundo, são coletados cerca de 1 bilhão de dados diariamente a nível mundial”, explica a Farm Management Support (FMS) da Lely para a América Latina, Letícia Fernandes.

A Inteligência Artificial e o tratamento precoce de doenças
Dentro do sistema, a IA é utilizada para identificar doenças por meio de relatórios detalhados, tornando possível a detecção antecipada de animais doentes. “Alguns exemplos são os alertas de mastite ao detectar um aumento de condutividade, alarmes ao identificar uma queda na ruminação e orientações de não realizar novas inseminações em algumas vacas. A IA é suportada por algoritmos de aprendizado de máquina, que são continuamente treinados com os dados coletados, podendo ser adaptados às condições específicas de cada fazenda, seja de pastoreio ou confinamento”, diz Letícia.

“A aplicação de tecnologias avançadas permite a detecção precoce de doenças via software, identificando-as antes mesmo dos sinais clínicos. Isso resulta em uma ação mais rápida por parte do produtor, sinais clínicos menos severos, menor perda de leite e maior eficiência no tratamento, reduzindo os custos da doença, que variam abruptamente”, conclui.

Sobre a Lely
A Lely, fundada em 1948, direciona todos seus esforços para a criação de um futuro sustentável, lucrativo e agradável na fazenda. Focada nas vacas, a empresa desenvolveu robôs profissionais e sistemas de dados que aumentam o bem-estar, flexibilidade e a produção diária dos animais na fazenda. Por mais de 25 anos, a Lely tem liderado as vendas e serviços no segmento de automação na produção leiteira, ajudando no sucesso diário dos produtores ao redor do mundo. Diariamente, a Lely inspira seus funcionários a oferecerem aos seus clientes soluções inovadoras e a construírem uma parceira de confiança de longo prazo, através de orientações e suporte. Com sua sede na Holanda e uma rede mundial de Lely Centers dedicadas localmente para serviços de vendas e suporte personalizados, o grupo Lely está presente em mais de 45 países e emprega mais de 1.600 pessoas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp