julho 23, 2024

Como o abate de bovinos jovens melhora a “pegada de carbono” da pecuária do País

A crescente demanda de abate de gado de até trinta meses é um dos principais índices que estão influenciando a redução da emissão de gases de efeito estufa na produção de bovinos.

Como o abate de bovinos jovens está melhorando a “pegada de carbono” da pecuária do País.

Produção de bovinos mais jovens

Bovinos em área de pasto na fazenda Campanário. Foto: Reprodução

A produção de animais jovens, em ciclos de produção mais eficientes e sustentáveis, têm contribuído para uma pecuária de baixa emissão de carbono e até de carbono neutro.

Isso porque os bovinos passam a permanecer menos tempo, o que leva a menos gases de efeito estufa emitidos.

A crescente demanda por bovinos mais jovens de até 30 meses que possuem uma carne de melhor qualidade acaba influenciando numa pecuária de ciclo mais curto.

Carne de bovinos jovens é demanda de consumidor 

Detalhe de cortes de carne bovina. Foto: Divulgação

Atualmente, cerca de 90% dos países compradores da nossa proteína não aceitam carne de animais com idade superior a 30 meses ao abate.

Por isso, muitos pecuaristas no País estão entrando cada vez mais nessa tendência global de adequação dos sistemas de produção.

Fonte: Giro do Boi

Curadoria: Boi a Pasto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp