eskişehir televizyon tamirDiş eti ağrısıAntika mobilya alanlarwordpress en iyi seo eklentilerihttps://www.orneknakliyat.comantika alanlarEtimesgut evden eve nakliyathayır lokmasıpendik evden eve nakliyatbeykoz evden eve nakliyatdarıca evden eve nakliyateskişehir protez saçavcılar lokmacıankara ofis taşımacılıgıankara parca esya tasımatuzla evden eve nakliyatAnkara implant fiyatlarıodunpazarı emlakmersin evden eve nakliyatığdır evden eve nakliyat

abril 21, 2024

BRS Sulina: cultivar de ervilha é testada com sucesso para adubação verde e cobertura de solo

BRS Sulina está sendo testada em Santa Catarina

Photo: Divulgação RAIX Sementes

Horizontes promissores para a cultivar BRS Sulina, variedade de ervilha indicada para adubação verde e para cobertura de solo no cultivo de grandes culturas, como trigo, milho, soja e feijão. Uma parceria entre a Embrapa Hortaliças e a empresa RAIX Sementes Ltda. está avaliando o potencial das sementes da leguminosa para cultivo em mix de plantas de cobertura (mistura de espécies gramíneas, crucíferas e leguminosa) na produção de biomassa, aporte de nitrogênio e tolerância a doenças de solo, e vem apresentando resultados bastante animadores.

 “A cultivar apresentou rusticidade e adaptação a diferentes tipos de ambientes, com boa produção de biomassa mesmo em solos de média e baixa fertilidade, além de apresentar potencial para uso em consórcio com outras cultivares, gramíneas (aveia e centeio), nabo forrageiro e em esquemas de rotação, antecedendo o milho e soja, entre outras culturas”, registra Ana Maccari, pesquisadora da RAIX Sementes, que vem acompanhando os ensaios. Segundo Maccari, os resultados obtidos nesses estudos permitirão fundamentar as decisões no momento de recomendar a cultivar em termos de regiões adaptativas para formação de consórcios de cobertura de solo em sistemas de plantio direto (SPD).

Sediada no município São Miguel do Oeste, em Santa Catarina, a empresa RAIX Sementes atua na identificação de alternativas com capacidade de gerar benefícios envolvendo o aumento da sustentabilidade dos sistemas produtivos. O estabelecimento da parceria entre as duas instituições teve como ponto de partida o dia de campo promovido pela Fundação Agropecuária de Pesquisa Agrária – FAPA (Guarapuava-PR) em 2021, ocasião em que a BRS Sulina chamou a atenção de representantes da empresa, quando da apresentação de inovações tecnológicas disponíveis para cultivo no período de vazio outono e inverno.

Às tratativas iniciais, que incluíram a formalização do acordo entre a empresa e a Embrapa Hortaliças, ensaios passaram a ser conduzidos em diferentes ambientes e épocas de semeadura para avaliar a adaptabilidade, o potencial agronômico, ciclo de produção e rendimento da massa seca da cultivar – conforme as primeiras avaliações, a BRS Sulina vem se constituindo numa “excelente alternativa para adubação verde e formação de cobertura de solo no período de vazio outonal/invernal”.

BRS Sulina

Leguminosa indicada para adubação verde e para cobertura de solo, a variedade de ervilha BRS Sulina foi desenvolvida em pesquisas conjuntas entre as Unidades Hortaliças e Trigo da Embrapa. O material foi trazido em 2010 para o Distrito Federal, onde predomina um clima mais ameno a mil metros de altitude e, nos experimentos conduzidos na Embrapa Hortaliças, foram selecionados materiais que apresentaram rusticidade, resistência a doenças e, principalmente, volume de massa verde.

Com um rendimento em torno de 1,5 toneladas de grãos e cerca de 13 toneladas de massa verde, a variedade supera alternativas como a ervilhaca, aveia e nabo. Extremamente adaptada à Região Sul, devido ao rápido crescimento inicial, precocidade e uniformidade, a BRS Sulina proporciona grandes reduções de custo aos produtores de diversos segmentos, com a redução da dependência de fertilizantes químicos das culturas subsequentes.

A facilidade e estabilidade na produção de sementes da cultivar são superiores a outras leguminosas anuais de inverno, como a ervilhaca comum e a ervilhaca peluda. A aptidão dos grãos para a formulação de ração animal, principalmente suínos, representa também mais uma alternativa de utilização da BRS Sulina.

Para o pesquisador Warley Nascimento, chefe geral da Embrapa Hortaliças, os resultados dos experimentos que vêm sendo realizados pela empresa RAIX Sementes representam um aval a mais às características da cultivar, “além de possibilitar ao produtor uma diversificação de espécies com essa finalidade, que é a cobertura do solo e rotação de culturas, principalmente para a Região Sul do País, onde essa prática sustentável tem sido adotada por grande parte dos produtores”.

Fonte: Embrapa

Curadoria: Boi a Pasto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para ficar atualizado.

POST RECENTES

A tecnologia contra o desperdício de alimento

Em 27 de março, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) divulgou um dado alarmante:  mais de 1 bilhão de refeições foram desperdiçadas por dia, em 2022, em todo o mundo. Isso ocorre enquanto 783 milhões de pessoas passam fome e um terço da população mundial enfrenta algum tipo de insegurança alimentar, de acordo com o Relatório do Índice de Desperdício de Alimentos 2024. O impacto ambiental também impressiona, pois o desperdício de alimentos é responsável por emissões de gases de efeito estufa cinco vezes maiores do que as do setor de aviação.

Leia Mais »

USP e Embrapa oficializam parceria para pesquisas em rastreabilidade

Pesquisas voltadas à sustentabilidade da agricultura estão no foco de um novo acordo assinado no último dia 11 entre a Embrapa e a Universidade de São Paulo (USP). O protocolo de intenções acordado abrange o uso compartilhado do Centro de Agricultura Tropical Sustentável (STAC) da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP.

Assinado durante o Fórum de Agricultura Tropical Sustentável, realizado na capital paulista, na USP, o documento tem como objeto trabalhos de desenvolvimento de métricas e selos de sustentabilidade ligados às práticas ESG, sigla em inglês para definir a abordagem de governança ambiental, social e corporativa.

Leia Mais »
hacklinkbig bass bonanzaSweet bonanza demoCasinoslotgates of olympus oynaSweet bonanza demosugar rush oynaCasinoslotBahisnowbayan escortTürkiye Escort Bayan